Skip to content

October 31, 2013 -

78

Review LG Fireweb – O primeiro aparelho brasileiro com o Firefox OS

LG Fireweb - o aparelho com Firefox OS.

LG Fireweb – o aparelho com Firefox OS.

O LG Fireweb (D300f) poderia ser considerado apenas mais um aparelho de baixo custo sendo vendido por uma operadora, mas tem como responsabilidade ser um dos primeiros aparelhos lançados com o Firefox OS. No Brasil, é o primeiro deles a ser vendido, apesar de não ter ficado sozinho por muito tempo.

Se conseguir um espaço para atrair a atenção do consumidor já é difícil, tendo Apple, Google e Samsung como concorrentes, tentar conseguir essa atenção com um novo ecossistema é ainda mais complicado. No mercado há ecossistemas já consolidados (iOS e Android) , em busca de (re)consolidação (Windows Phone 8 e BlackBerry) ou prestes a entrar na disputa (Sailfish, Tizen e Ubuntu). A Mozilla, porém, tenta tirar proveito de dois trunfos: o mercado de pessoas interessadas na compra de seu primeiro smartphone e o já bem conhecido e consolidado ecossistema da Web, para o qual se utilizam padrões abertos e bem difundidos como HTML, JavaScript e CSS para se desenvolver.

O uso da Web como plataforma para oferecer um produto interessante no segmento de feature phones é ambicioso, mas não é difícil notar que (agora ex) colaboradores da Mozilla estejam empolgados (traduzido aqui) com os resultados e perspetivas futuras:

“O Firefox OS preenche essa lacuna no mercado perfeitamente. Ele oferece uma experiência de smartphone em um hardware barato e low-end, que é comparável com a uma experiência de um Android de hardware intermediário. E isso não é uma piada.”

Neste review iremos analisar como a Mozilla tem se saído no desenvolvimento desse novo sistema operacional e na experiência oferecida pelo LG Fireweb diante do mercado de feature phones e de aparelhos low-end. Para isso, o review seguirá a linha exploratória já adotada no blog.

Índice

  1. A Caixa
  2. Especificações
  3. Características Físicas
  4. Desempenho
  5. Armazenamento
  6. O Sistema Operacional
  7. Recursos Gerais
  8. Aplicativos e Jogos
  9. Mapas e Navegação
  10. Multimídia
  11. Conectividade
  12. Segurança e Privacidade
  13. Tweaks, Modding, Desenvolvimento e Atualizações
  14. Telefonia (Ligações, SMS e MMS)
  15. Bateria e Gerenciamento de Energia
  16. Preço e Avaliação da Compra
  17. Avaliação Geral
  18. Conclusões

A Caixa

A apresentação do produto ao usuário não fica longe do que um aparelho topo de linha oferece. A caixa começa exibindo o tradicional (mas renovado) logotipo do Firefox e possui uma construção bonita, firme e com dimensões reduzidas. Ao retirar o encaixe externo da caixa, é preciso remover mais uma tampa para se ver o interior e, finalmente, o aparelho.

A caixa do LG Fireweb

A caixa do LG Fireweb

Visão ao retirar a primeira parte da caixa.

Visão ao retirar a primeira parte da caixa.

Visão do aparelho ao retirar as duas partes que fecham a caixa.

Visão do aparelho ao retirar as duas partes que fecham a caixa.

O conjunto de itens é formado por:

  • Aparelho;

  • Carregador;

  • Bateria;

  • Cabo de dados;

  • Guia Rápido;

  • Termos de Garantia;

  • Fones de ouvido.

 

Conjunto de itens fornecido com o Fireweb.

Conjunto de itens fornecido com o Fireweb.

 

Sendo um aparelho de baixo custo, o conjunto fica dentro do convencional. Atualmente, nem mesmo aparelhos high-end costumam extrapolar esse conjunto.

O fone de ouvido tem uma camada grossa de borracha que, apesar de ser maleável, oferece um pouco de resistência que evita que ela seja totalmente dobrada em situações não propositais. A vantagem é evitar o rompimento do fio interno do fone e melhorar a vida útil do acessório.

Detalhes do fone de ouvido com acompanham o Fireweb.

Detalhes do fone de ouvido com acompanham o Fireweb.

Na junção entre os fios do fone há um microfone e um botão cuja função é permitir atender e encerrar chamadas. Na caixa não são fornecidas borrachas, espumas ou qualquer forma de se cobrir as saídas de som que ficam em contato com o ouvido.

Carregador fornecido pela LG.

Carregador fornecido pela LG.

O carregador segue a tendência de ser fino e compacto, para não ocupar muito espaço no transporte diário, e de possuir uma entrada USB para ser usada em conjunto com o cabo de dados. A entrada é bivolt, a tensão de saída é de 5V e a corrente é de 0.85A. Ao contrário dos aparelhos da Samsung, a entrada USB fica na parte superior ao invés da lateral. Esse posicionamento não parece o mais indicado, já que o cabo de dados tende a ser forçado a dobrar mais bruscamente para baixo, quando o carregador está na posição vertical, ou ocupar mais espaço com a área não maleável do fio, quando o carregador está preso à parede, na posição horizontal.

Tanto fone de ouvido, quanto carregador e cabo de dados são pretos e em um tom fosco. A escolha escapa, pelo menos nesse aspecto, do padrão branco e laqueado adotado pela Apple e pela Samsung.

Para ver mais fotos e detalhes do LG Fireweb, acesse a coleção no Flickr. :)

Especificações

O LG Fireweb ainda não teve as especificações detalhadas publicadas pelas LG. Por isso, a tabela de especificações foi montada a partir do que o empresa e a operadora já divulgaram, por especificações e detalhes encontrados por certificações e referências internas.

Informações Básicas
Nome LG Fireweb – D300f
Firefox OS
Versões do SO Firefox 1.1.0.1
Interface Gaia – Mudança na tela de carregamento do sistema e na lista de aplicativos.
Conectividade
Redes GSM/3G Quad-band GSM: 850/900/1800/1900 MHz
Dual-band HSPA: 850/2100 MHz
Suporte a ligações pela Internet (VoIP/SIP) -
Bateria
Tipo Li-ion 1540 mAH
Tempo de Conversação 8 horas
Tempo em Standby (máx) 31 dias
Armazenamento e Memória
Armazenamento Removível Cartão micro-SD de até 32 GB
RAM 512MB
Armazenamento Interno 4GB (Cerca de 2GB disponíveis para o usuário)
Conectividade
WiFi 802.11 n/b/g
Segurança: WEP, WPA e WPA2
Suporte a WPS
Bluetooth Bluetooth 3
Perfis: HSP, HFP, OPP e IOPT
NFC Não
Infravermelho Não
Serviço de Localização A-GPS
Tamanho e Peso
Dimensões 118,3 x 66,5 x 9,86 mm
Peso 125 g
Tela
Tamanho da Tela 4.0″
Resolução da Tela HVGA (480×320 pixels)
Touch screen Sim – Capacitivo – Suporta até 5 toques simultâneos
Tecnologia TFT LCD
Hardware
Processador 1 GHz Qualcomm (1 core) [falta confirmação oficial]
GPU Adreno [falta confirmação oficial]
USB USB 2.0
Áudio / Fone de Ouvido 3.5mm
Rádio FM Sim
TV Digital Não
Teclado Físico Não
Acelerômetro Sim
Giroscópio Não
Câmera
Principal 5.0 megapixels
Características Flash LED
Auto Foco
Grava Vídeo em VGA (640 x 480p)
Zoom Digital de 4x
Secundária Não
Características Adicionais
Aplicativos Aplicativos

  • AccuWeather
  • CuteTheRope
  • E-mail
  • Facebook
  • HERE Maps
  • YouTube
  • Wikipédia

Aplicativos Vivo

  • BR Apps
  • Guia Vivo Meu App
  • Serviços
  • Site Vivo
  • Vivo Meu App
Bússola Digital Não confirmado
Sensores Proximidade
Compatibilidade Java (J2me) Não

Características Físicas

Nesta seção serão apresentadas as características físicas do aparelho, como qualidade da construção e componentes externos.

Mapa do aparelho

Como a LG ainda não forneceu os manuais para o LG Fireweb, foi feita uma adaptação a partir do LG Optimus L5. As diferenças externas entre ambos são pequenas, o que manteve a localização dos seus recursos de forma idêntica.

Mapa do LG Fireweb - Retirado e adaptado do manual do LG Optimus L5, disponível em http://www.lge.com/br/suporte-celular/lg-LGE612F

Mapa do LG Fireweb – Retirado e adaptado do manual do LG Optimus L5, disponível em http://www.lge.com/br/suporte-celular/lg-LGE612F

Construção

O Fireweb tem tamanho e proporções que devem agradar, ou pelo menos não afastar, uma grande faixa de usuários. A tela de 4” é suficientemente confortável, sem deixar o aparelho muito grande. As medidas ficam em 11,83 cm de altura, 6,65 cm de largura e 9,86 mm de espessura. O tamanho permite um transporte confortável e discreto no bolso, sem perder o conforto ou causar problemas para digitação — mesmo para alguém acostumado a usar aparelhos de mais de 5”.

Visão frontal do LG Fireweb.

Visão frontal do LG Fireweb.

A construção do aparelho, como era de se esperar, é dominada por plástico. As laterais têm um tom cromado que é facilmente marcado pelas digitais, mas que podem ser tão rapidamente limpas com o passar de um pano. A parte traseira imita as cores do Nexus 4, mas não usa o vidro traseiro. Sobre a resistência do material que cobre a tela, não há qualquer informação sobre capacidade de evitar riscos ou qualquer forma de proteção. O melhor, nesse caso, é partir para o uso da película, ainda que improvisando de um LG Otpimus L5.

Destaque para as entradas das partes superior e inferior do LG Fireweb.

Destaque para as entradas das partes superior e inferior do LG Fireweb.

O aparelho tem um botão com dois lados pressionáveis, para aumentar e diminuir o volume do som. Na parte de cima há um botão para ligar e desligar o aparelho, além de uma entrada para fone de ouvido. Na parte de baixo ficam expostos uma porta micro USB e um orifício para o microfone. Do lado direito não há nada além de uma ranhura para facilitar a remoção da tampa traseira.

Visão traseira do LG Fireweb.

Visão traseira do LG Fireweb.

A parte de trás do aparelho deixa à mostra o símbolo da LG e a lente da câmera de 5 MP, acompanhada de um LED que atua como flash. Além disso, há duas saídas de som, separadas sem um propósito claro, já que o áudio de saída não é estéreo. Na parte da frente, além do fone para se ouvir ligações, há duas circunferências que em geral denunciam os sensores de luminosidade e de proximidade, porém, a falta de uma opção de ajuste automático de brilho faz parecer que o sensor de luminosidade não está presente (algo que não aconteceu com o Geeksphone Peak, indicando o suporte pelo Firefox OS). Para completar, logo abaixo da tela há o botão físico que dá acesso à tela inicial do sistema e às tarefas abertas.

O botão físico na frente é extremamente bem-vindo. Em comparação ao Keon e Peak (dev-phones produzidos pela Geeksphone), que possui um botão capacitivo, é possível notar a facilidade maior para encontrar a posição do botão e sentir segurança de que ele foi pressionado, deixando o sistema responder apropriadamente à ação. O que faz falta no aparelho é o aproveitamento da área que fica ao lado do botão físico. Outros botões seriam muito bem recebidos (hum… quem sabe um “voltar” e um “menu”?), mas o sistema é proposto de forma a evitar a necessidade deles.

O que sempre faz falta quando não colocam é o LED de notificações. Como o Fireweb não tem uma tela OLED que poderia exibir notificações sem prejudicar muito sua autonomia, o uso do LED ofereceria uma forma fácil de notar que algum evento importante aconteceu e precisa da atenção do usuário.

Detalhes da parte interna do Fireweb com a retirada da tampa traseira.

Detalhes da parte interna do Fireweb com a retirada da tampa traseira.

Ao retirar a carcaça, é possível ver o espaço para a bateria, a entrada para o mini SIM card (se você cortou o seu para usar em outro aparelho, precisará de um adaptador, como eu) e a entrada lateral para cartão micro SD. O aparelho não exige que se retire desligue o aparelho e remova a bateria para que se insira, retire ou troque o cartão de memória.

Tela

A tela do aparelho é do tipo TFT LCD, com 4” e resolução HVGA  (320 x 480). A densidade de ~144 pixels por polegada fica bem longe das densidades superiores a 300 ppi de aparelhos como iPhone 5S e do Galaxy S4. Se comparado a linhas low-end, o aparelho fica na média das especificações, mas ainda perde com relação à densidade de pixels, como os 180 ppi da extinta linha Xperia Mini da Sony Ericsson. Apesar dessa densidade baixa, a resolução da tela fica dentro do esperado para um aparelho de baixo custo e ainda consegue escapar o tamanho limitado e praticamente claustrofóbico de aparelhos com menos de 3.5”.

Fireweb com a tela ligada.

Fireweb com a tela ligada.

O brilho da tela é satisfatório, sendo possível usá-lo abaixo dos 50% sem enfrentar dificuldade para leitura. Em ambiente aberto e sob a luz do sol, porém, foi difícil enxergar o conteúdo mostrado na tela mesmo com o brilho no máximo. Há uma visibilidade razoável do conteúdo em quase todos os ângulos de visão, ainda que na maioria deles se perca bastante o tom das cores, resultando em imagens esbranquiçadas.

Perda de cores conforme se muda o ângulo de visão.

Perda de cores conforme se muda o ângulo de visão.

Com relação às cores, não há o tom colorido e vívido das telas AMOLED, mas o que deve incomodar mesmo é o serrilhado e o aparente desfoque resultante da baixa resolução. De um modo geral, a tela pode não agradar aqueles que estão habituados a usar aparelhos mais caros, mas não é nada com o qual não se possa acostumar. Tratando-se de aparelhos com Firefox OS nativo, a tela está entre as melhores opções disponíveis para o público geral, mas fica bem aquém do que é oferecido aos desenvolvedores pela Geeksphone.

Comparação da qualidade da tela entre LG Fireweb (à esquerda), Samsung Galaxy S4 (ao centro) e Sony Live With Walkman (à direita).

Comparação da qualidade da tela entre LG Fireweb (à esquerda), Samsung Galaxy S4 (ao centro) e Sony Live With Walkman (à direita).

Um ponto estranho observado no Firefox OS é o reconhecimento de toques. Aplicativos como Cut The Rope e Paint só reconheceram um toque por vez. No entanto, tanto o sistema operacional quanto o aparelho suportam múltiplos toques. A prova disso foi conseguida ao acessar o site http://openlayers.org/dev/examples/multitouch.html (obrigado pela recomendação, @Panaggio). Isso indica que os desenvolvedores não adotaram o recursos já oferecido. Como resultado do teste, foi possível constatar que o LG Fireweb reconehce até 5 toques simultâneos, o que é o esperado mesmo em aparelhos high-end (se já é difícil conseguir colocar 5 dedos em uma tela de 4″, imagine 10…)

Desempenho

Dados sobre disponibilidade e uso de RAM do LG Fireweb.

Dados sobre disponibilidade e uso de RAM do LG Fireweb.

O LG Fireweb vem com processador 1GHz e com um único core e 512MB de RAM — confirmados graças ao ADB. As especificações são bem modestas, mas superam requisitos mínimos de hardware determinados pela Mozilla para o Firefox OS. Para a Mozilla, o mínimo é  ter processador de arquitetura ARMv6, anunciado ainda em 2001. O recomendado, por sua vez, continua não sendo nada extravagante: processador com arquitetura ARM Cortex A5 e GPU Adreno 200.

Com um hardware modesto, mas superior às exigências do Firefox OS, o Fireweb permite o uso satisfatório de seus aplicativos, mas a experiência fornecida pela interface do sistema não se compara a um Android situado entre mercados mid-end e high-end. Se forem consideradas opções de aparelho low-end, em faixa de preço semelhante, com versões oficiais de sistema e suas interfaces cheias de recursos, é possível ter uma experiência semelhante ou até melhor. Porém, executando um sistema mais leve e preocupado com fluidez, como o CyanogenMod, é possível notar que o Fireweb ainda não entrega o melhor resultado — afirmação resultante de testes com o Sony Live With Walkman executando o CyanogenMod 10, em versão extra oficial.

Um dos principais problemas notados, cuja maior responsabilidade é por parte do hardware, é o atraso entre a ação do usuário e a resposta do sistema. Se há quem reclame desse atraso ao comparar o iOS com o Android, o lag do Firefox OS será ainda mais notável. É preciso observar, porém, que se trata de uma versão inicial do sistema que não passou por todos os ciclos de desenvolvimento, suporte a aceleração de hardware e otimização, como os que o Android passou por parte da Google e de diversas comunidades de desenvolvedores. Tem-se, ainda, o desafio de implementar um sistema utilizando HTML5, CSS e JavaScript para o desenvolvimento.

Um exemplo claro da melhora do uso do aparelho foi com a primeira atualização. Assim que o aparelho foi recebido, o jogo Cut the Rope parecia executar em câmera lenta, mesmo com  animações simples. A experiência, porém, melhorou significativamente após a atualização para a versão 1.1 do sistema, fazendo com que o jogo executasse rapidamente.

A experiência de uso do Firefox OS com o de um aparelho melhor, o Peak (1GB de RAM e processador Snapdragon S4, dual core), tem uma diferença notável. A resposta ao toque é muito mais rápida e a fluidez do sistema é digna de um aparelho mid/high-end, o que mostra o potencial do sistema operacional da Mozilla.

Para tentar comparar o desempenho do sistema diante de outros aparelhos, foram executados 2 benchmarks baseados em JavaScript e usando como Firefox como navegador. Os resultados foram:

Aparelho Sunspider Kraken
Fireweb 2957.9ms +/- 20.2% 62293.6ms +/- 0.5%
Peak 2286.6 ms +/- 2.4% 55699.9ms _/- 2.9%
Live With Walkman (Firefox para Android) 2460.1ms +/- 15.8% Não conseguiu concluir.
Galaxy S4 (Firefox para Android) 1343.8 +/- 5.3% 11809.3ms +/- 2.5%
Notebook Core i7 (Firefox para Ubuntu) 198.0ms +/- 22.5% 1892.1ms +/- 3.1%

É curioso notar que no primeiro teste o Sony Live teve resultado melhor do que o Fireweb, mas no segundo o aparelho foi notavelmente mais lento e não conseguiu completar a execução. Além disso, no primeiro teste a diferença entre o Fireweb e o Galaxy S4 não foi tão notável assim, talvez pela falta de otimização do processamento para múltiplos cores.

Armazenamento

No que diz respeito a armazenamento, o Fireweb não surpreende, mas possui uma capacidade satisfatória. A memória interna possui 4GB, sendo que destes, mais de 2GB estão disponíveis para o usuário. São 936.8 MB de espaço da “Memória de Aplicativos” — o que poderia deixar usuários do Android preocupados –, mas que parecem bem apropriados para a finalidade. Um indicativo disso é o consumo total de 51.8 MB pelos aplicativos vindos de fábrica e com a inclusão de alguns outros. Considerando que os aplicativos são Web e que o aparelho em si não deve ser voltado para um público gamer que execute aplicações com animações longas e em alta definição, a capacidade realmente não deve ser problema.

Recursos relacionados ao armezenamento do Fireweb.

Recursos relacionados ao armezenamento do Fireweb.

Para os dados do usuário, há 1.82 GB de capacidade de armazenamento da chamada “Memória de Mídia”. Nela ficam fotos, músicas, vídeos e outros dados gerados pelo usuário. Caso esse espaço não seja suficiente, é possível utilizar um cartão de memória micro SD de até 32 GB de capacidade e defini-lo como Memória de Mídia. Para isso, basta acessar a opção disponível nas configurações do sistema.

Assim como aparelhos que utilizam versões anteriores à terceira do Android, o armazenamento interno pode ser montado no sistema como um pendrive. A opção é interessante porque facilita o compartilhamento e a troca de arquivos entre computador e aparelho e possui suporte mais amplo por parte dos sistemas operacionais de computadores.

O Sistema Operacional

O Firefox OS é o sistema operacional desenvolvido pela Mozilla que combina o kernel do Linux com o motor de layout Gecko. O resultado dessa combinação é um sistema operacional livre que tem como forma de desenvolvimento tecnologias e padrões abertos utilizados na Web: HTML5, CSS e JavaScript.

O sistema é composto por três camadas: Gonk, Gaia e Gecko. O papel deles é explicado adiante.

Arquitetura do Firefox OS - Retirada de https://developer.mozilla.org

Arquitetura do Firefox OS – Retirada de https://developer.mozilla.org

O Gonk é a camada mais baixa, de infraestrutura. Ela é formada pelo Kernel do Linux e pelo HAL, que cria uma camada de abstração de hardware que facilita o acesso aos recursos físicos do aparelho por parte das camadas superiores do sistema. É interessante notar que essa camada aproveita recursos de diversos projetos open-source, como o próprio Linux e o Android.

O Gecko é a camada intermediária que fornece o ambiente de execução dos aplicativos e recursos que são desenvolvidos usando padrões abertos da Web. Os principais são a tríade HTML5, CSS e JavaScript, mas há uma série de outros inclusos, como DOM e XML. Ela é para o Firefox OS o que o Dalvik é para o Android.

Essa camada é a que deve concentrar o maior nível de conhecimento e expertise por parte da Mozilla, já que vem sendo desenvolvida e adotada em outros projetos, como o navegador Firefox, há anos. Sua principal função é atuar como engine de layout e de web browsing.

A Gaia é a camada de nível mais alto do sistema, responsável pela interface. Seja pela lista de aplicativos, tela de bloqueio ou busca adaptativa, tudo é feito como a partir dela.

Toda a camada é construída usando a já mencionada tríade, graças à camada inferior (Gecko) com a qual ela se comunica. Como resultado, essa camada pode ser executada no navegador Firefox ou em aplicativos e sistemas operacionais que permitam o uso do Gecko.

Recursos Gerais do Sistema

Considerando que o Firefox OS está em um estágio inicial de desenvolvimento, os recursos oferecidos contemplam uma boa variedade e estão à frente do que outros sistemas ofereciam em suas primeiras versões. Pode-se destacar o gerenciamento de tarefas, captura de tela, barra de atalhos e de notificações, entre outros. Uma amostra do que o sistema oferece é apresentada na propaganda comercial que já está sendo veiculada na TV.

Apesar de ter recursos interessantes, há um longo caminho a ser percorrido para que o sistema ofereça recursos que possam ser usados no dia a dia do usuário sem comprometer sua produtividade. Os recursos gerais serão apresentados nas seções subsequentes.

Interface

A aparência do sistema lembra a do Android nas versão 2.3 numa linha TouchWiz, com elementos mais coloridos — o que, por consequência, lembra também a do iOS e o MeeGo, sobretudo pelos ícones arredondados. A interface é composta por uma tela de bloqueio, painel de notificações, tela de pesquisa dinâmica e lista de aplicativos. Em todas elas aparece a Barra de Estado, uma barra superior com a indicação do nível de carga da bateria, sinal da rede celular e hora. Caso estejam ativos, Wi-Fi e Bluetooth também são mostrados.

A principal orientação da tela é em modo retrato, na vertical. Além da própria interface do sistema e de suas configurações, os aplicativos distribuídos em conjunto com o Firefox OS não se ajustam à posição da tela quando o telefone é segurado na posição horizontal. A única exceção encontrada foi a do navegador Firefox, o que é compreensível, já que usar o aparelho em modo paisagem pode oferecer uma experiência melhor de leitura de sites em algumas ocasiões — sobretudo em uma tela pequena.

Na parte inferior das telas de pesquisa dinâmica e lista de aplicativos há uma barra com ícones mais usados. Inicialmente ela é ocupada pelo ícones do Firefox, Telefone, Gerenciador de Mensagens e Câmera, mas a escolha dos itens, inclusive em maior quantidade do que é exibido na tela, pode ser feita pelo usuário.

Painel de Notificações

O painel de notificações tem funcionamento semelhante ao do Android e do iOS: o usuário “puxa” a barra de cima para baixo, mostrando a lista de notificações e alguns botões para acesso rápido à ativação e desativação de Wi-Fi, transferência de dados, Bluetooth, Modo Voo e Configurações. Na parte de cima do painel há um botão “limpar tudo”, para se remover as notificações exibidas, mas também é possível remover itens individualmente deslisando o dedo da esquerda para a direita — como o sentido inverso não funciona, cheguei a pensar que não existia a opção de gesto.

Opções e recursos do Painel de Notificações do Firefox OS.

Opções e recursos do Painel de Notificações do Firefox OS.

Esse painel já dá indícios de que poderá ser melhor explorado no futuro com dados de outros aplicativos. A exemplo disso, tem-se a integração com o aplicativo de Uso de Serviços de Telefonia, mostrando o consumo do tráfego da Internet, número de minutos gastos e total de mensagens enviadas.

Busca Adaptativa de Apps

A tela de busca dinâmica é uma adição interessante que tem sido bem evidenciada pela Vivo — operadora responsável pela vinda do aparelho no Brasil. Por ela, o usuário pode adicionar um termo de busca e conseguir resultados variados, conforme a natureza do que se procura. Ao digitar o nome de um cantor, por exemplo, a primeira coisa que acontece é a identificação de que o nome dele está relacionado a música. Imediatamente o fundo da tela muda para uma foto dele. Posteriormente, são exibidos ícones de apps e serviços pertinentes ao contexto musical, como Twitter, Vagalume, Letras de Músicas, Rádio UOL, Groveshark, Facebook, etc. Ao se clicar sobre um desses elementos, abre-se o aplicativo em uma página com resultado da busca pelo termo usado. Assim, ao clicar em Letras de Músicas, tem-se uma lista de músicas do Bob Marley, das quais é possível ler as letras.

Funcionamento da busca adaptativa do Firefox OS.

Funcionamento da busca adaptativa do Firefox OS.

A tela de busca é uma funcionalidade interessante, mas a falta de aplicativos adaptados ao aparelho faz alguns resultados não serem tão relevantes. Por exemplo, ao se digitar “concat java”, há resultados genéricos como Google, Facebook, YouTube e Twitter. Além disso, a busca não chega a dar respostas como o Google, DuckDuckGo e Wolpfram Alpha fazem quando se digita termos como “5 + 5”. Mas, novamente, é preciso ver que o sistema está em estágio inicial.

Resultados para termos diferentes de busca.

Resultados para termos diferentes de busca.

Não é difícil lembrar das telas de busca do Google Now e do resultado das ações comandadas ao Siri. Mas, mesmo em estágio inicial, é possível notar a diferença da proposta que, em algumas situações, pode ter funcionamento mais adequado que as alternativas. Além disso, já é possível ver opções vindas, por terceiros, sendo trabalhadas

Lista de Aplicativos

A lista de aplicativos não tem mistérios e nem funcionalidades escondidas. Ela lista os aplicativos instalados, assim como as páginas da Web cujos atalhos foram salvos.

Tela da Lista de Aplicativos do Firefox OS.

Tela da Lista de Aplicativos do Firefox OS.

Para organizar os aplicativos, é possível mudar a ordem de exibição, arrastando os ícones, e  removê-los (inclusive os que a operadora instala). A remoção é a desinstalação completa do aplicativo. Pela lista, também é possível mudar quais aplicativos são acessados pela barra inferior, com acesso rápido.

Os ícones da lista podem ser colocados em grupos menores com telas que crescem à direita o que serve como recurso para organização. Para melhorar, faltou a opção de posicionar ícones em qualquer parte da tela, dando ao usuário mais escolhas de organização.

Tela de Bloqueio

A tela de bloqueio exibe data e hora, mostra as notificações e oferece dois botões para desbloqueio: um para ir para a tela de aplicativos e outro para abrir diretamente a câmera.

Tela de bloqueio do Firefox OS com atalhos e notificações.

Tela de bloqueio do Firefox OS com atalhos e notificações.

Caso deseje, o usuário pode exibir uma senha para desbloquear a tela. A opção, porém, é limitada a apenas 4 dígitos.

Experiência de uso fornecida pela Interface

A interface já tem elementos bem populares e úteis para o usuário, mas ainda pode ser refinada e ter outros elementos adicionados. Um exemplo disso é a falta de um botão padronizado de “voltar”. Além de o botão da interface, que às vezes aparece no canto superior esquerdo, ser muito pequeno, em alguns momentos ele simplesmente não aparece. Se você acessar o Facebook, entrar em um grupo, rolar a página para baixo e depois escolher visualizar os comentários de um post, não conseguirá voltar para o grupo do ponto em que parou facilmente. Será preciso selecionar o menu principal, escolher o grupo e voltar ao início da navegação até achar novamente o ponto anteriormente atingido. Nesse sentido, porém, é preciso fazer justiça: o app da rede social foi o pior exemplo encontrado e foi desenvolvido pelo próprio Facebook. Outros aplicativos, como Twitter, Wikipedia e apps do sistema, mostram a opção de voltar e oferecem uma usabilidade melhor.

Outra situação incômoda é a de querer esconder o teclado e não ter um botão para isso. O modo esperado de se ocultar o teclado é tocar em uma parte da tela que ele não esteja cobrindo. O problema disso é que em alguns momentos tocar em outra parte da tela é interpretado como um clique em um link ou botão, fazendo com que a página seja recarregada e os dados sejam perdidos.

O volume do som, no uso geral, só pode ser modificado pelos botões de volume. Quando o controle aparece sobre a tela, não é possível ajustá-lo com o toque. A alternativa é ir até as configurações do aparelho e acessar o submenu de volume.

Um recurso interessante já incorporado é o de captura de tela. Para fazer isso, basta apertar os botões Home e Power que o conteúdo atual da tela é registrado e salvo na memória de mídia. Vale ressaltar que essa funcionalidade demorou a chegar no Android.

O que poderia ser incluso é o suporte a widgets. O que pode compensar sua falta num futuro próximo é barra de notificações, como mostrado com o recurso de Uso de Serviços de Telefonia, que pode se tornar uma forma de manter informações atualizadas sobre dados fornecidos por aplicativos (previsão do tempo, notícias, calendário, etc.).

Notificações

Um dos maiores problemas encontrados no Firefox OS foi a falta de um mecanismo integrado de notificações. Como será apresentado nas seções sobre e-mail e chat, se uma nova mensagem for recebida, o sistema não será capaz de informar o usuário. Para saber se há algo novo nas mensagens ou e-mails, é preciso abrir cada aplicativo e cada item (caixa de entrada) individualmente.

A falta desse recurso é um grande obstáculo para adotar o telefone para o uso diário. Se o usuário receber informações de trabalho, tiver um relacionamento ou simplesmente quiser ficar a par do que seus amigos estão combinando fazer no final do dia, será preciso conferir uma a uma as aplicações.

A boa notícia é que o problema está para ser resolvido na versão 1.2 do Firefox OS. Como mostra a documentação da Mozilla, o mecanismo de Web Notifications já está sendo desenvolvido, permitindo que as notificações extrapolem o escopo da aplicação e estejam sob ciência do sistema operacional.

Sincronismo

Como acontece na versão pura do Android, o Firefox OS é centrado no sincronismo de dados pela Internet. O Fireweb não fornece nenhum software para que se sincronize e-mails, contatos, fotos e arquivos utilizando um computador. Há, porém, a opção mais tradicional de compartilhamento de acesso à memória do aparelho para que o usuário consiga transferir arquivos.

Para o sincronismo de dados pela Internet, há opções satisfatórias para não ter que transferir dados manualmente. Para se obter contatos, pode-se fazer a importação do Google, Outlook e Facebook. Calendários podem ser sincronizados pelo Google e Yahoo! e de outras origens por CalDav. Os e-mails podem ser acessados de diversos serviços com os protocolos IMAP+SMTP e ActiveSync.

Opções individuais de sincronismo de Calendário, Contatos e E-mail.

Opções individuais de sincronismo de Calendário, Contatos e E-mail.

O grande problema do sincronismo, como será relatado nas seções de Contatos, Calendário e E-mail, é que cada aplicativo tem sua própria configuração e define os intervalos próprios. Ainda pior é que há casos, como o do e-mail, em que o sincronismo simplesmente não funciona se não for manualmente.

Além das limitações de personalização, o sistema poderia seguir exemplo de outros SOs e manter uma central de controle de serviços sincronizados. Mais do que isso, seria importante permitir habilitar ou desabilitar o sincronismo sem depender de habilitar ou desabilitar o serviço de acesso à Internet.

Multitarefa

Gerenciamento de tarefas.

Gerenciamento de tarefas.

O gerenciamento de tarefas do Firefox OS segue a tendência que está sendo adotada pelos principais SOs móveis: visualização de “cards”, assim como o Web OS fez e inspirou as gerações atuais. O usuário não tem acesso direto a uma opção para fechar ou minimizar um app. É preciso clicar sobre o botão principal para ir para a tela inicial do aparelho ou mantê-lo pressionado para alternar ou gerenciar as tarefas abertas. Na lista de tarefas, é possível selecionar uma tarefa para abrir ou também fechar as que estão abertas. O fechamento pode feito usando o botão no canto superior esquerdo ou com movendo o dedo de baixo para cima.

Os “cards” de janelas abertas não são atualizados conforme o progresso dos aplicativos. Em alguns casos, se o usuário vai para a tela inicial ou visualiza os demais programas abertos, a execução pára, como no caso de um vídeo sendo reproduzido no You Tube. Se o usuário volta a abrir o vídeo, a reprodução continua. No caso de outros, como o de Rádio FM e Reprodutor de Música, a reprodução continua ainda que outro app esteja sendo visualizado. Então, mesmo que o Firefox OS esteja em estágio inicial de desenvolvimento, já há suporte à execução de aplicativos em segundo plano.

Um ponto curioso é que não parece existir um recurso para a execução de uma tarefa independente da interface no sistema. Isso pode ser notado com o aplicativo de Calendário, configurado para sincronizar a cada 30 minutos. Mesmo que o aplicativo seja fechado, ele volta a ser aberto e mostrado na lista de aplicativos ativos frequentemente.

No que diz respeito ao gerenciamento em si, poderia ser dado mais controle e informação para o usuário. O sistema não mostra a quantidade de memória RAM disponível e o usuário tem noção do peso que cada aplicativo gera para o aparelho.

Teclado

O teclado possui um layout QWERTY comum e oferece opções de resposta ao toque (por som e vibração), correção automática e sugestão de palavras. Apesar de o sistema ter apenas 3 idiomas disponíveis (inglês, português e espanhol), o rol de idiomas disponíveis para teclado é mais amplo, tendo também opções como Polonês, Catalão, Sérvio, Árabe, Hebraico e Grego.

Layout do teclado para texto e símbolos, alternando entre inglês e português.

Layout do teclado para texto e símbolos, alternando entre inglês e português.

Há uma opção de troca de idioma, disponível pelo ícone de globo mostrado ao lado da barra de espaço. A diferença entre a escolha do teclado Português (brasileiro) e do Inglês é a visibilidade da tecla Ç e as opções de acentuação que são exibidas ao manter o dedo sobre uma letra. Esta segunda opção é pertinente porque no inglês, apesar de aparecerem opções de acentuação, não há alguns símbolos que usamos no cotidiano, como o ~ para a letra ‘o’.

O layout do teclado é satisfatório para digitar, em parte, graças ao tamanho da tela, mas poderia permitir a mudança para agilizar certos usos. Um exemplo disso seria a exibição de uma fileira de números logo acima das letras, evitando a necessidade de se alternar entre letras e números em ocasiões em que ambos são frequentemente usados (como ao digitar senhas e endereços). Outra adição interessante seria a de um botão “próximo” para avançar sobre os campos de formulários. É bom saber, porém, que o suporte a teclados de terceiros é um dos recursos que deverá ser introduzido na versão 1.2 do Firefox OS.

O mais grave no teclado foi a falta das opções de selecionar, copiar, recortar e colar texto. Como não há uma forma de se fazer isso, há vários momentos em que certo conteúdo pode ser trabalhoso ou simplesmente inviável de se guardar pelo telefone.

Navegação Web

A navegação Web no aparelho foi um ponto que me deixou extremamente confuso e frustrado. Tendo o Firefox OS como sistema operacional, o que se esperaria era o extrair o melhor da Web para o usuário, certo? Mas as coisas não são exatamente assim. Podemos começar pelo teste do http://html5test.com:

Aparelho Resultado
Fireweb 398 + 14 pontos de bônus
Live With Walkman – Firefox para Android Firefox: 426 + 14 pontos de bônus
Galaxy S4 – Firefox 426 + 14 pontos de bônus
Galaxy S4 – Chrome 449 + 11 pontos de bônus
Notebook Ubuntu – Firefox 413 + 10 pontos de bônus
Notebook Ubuntu – Chromium 448 + 13 pontos de bônus

O que o site procura responder é “o quão bem seu navegador suporta HTML5?”. Pelo teste, é possível ver que o suporte por parte do Firefox OS fica aquém da compatibilidade oferecida pelos navegadores de computadores e de outros dispositivos móveis, incluindo o próprio Firefox, disponível para o Android e com cada vez mais recursos.

Navegador do Firefox OS - Alternando entre modos de navegação.

Navegador do Firefox OS – Alternando entre modos de navegação.

Essa suposta defasagem do navegador pode ser compreendida pelo fato de poder existir uma certa diferença na capacidade de atualizar o sistema operacional completo e, com isso, atualizar o Gecko. Enquanto o Firefox OS usa o Gecko 18, o navegador para computadores usa o Gecko 24. Além disso, a construção do sistema e do navegador com HTML5 e JavaScript deve impor algumas limitações e desafios que ainda estão por ser superados. Porém, o que realmente gerou frustração foi a falta de recursos do aplicativo Firefox. No Android, mesmo em aparelhos low-end, o navegador oferece opções de configuração bem variadas. Entre elas, navegação privada, sincronismo e plugins. Já o navegador do SO da Mozilla se limita à apresentação de páginas, visualização de histórico e favoritos. Só. Acessar o endereço “about:config” não gera resultados como no Android ou em outro sistema operacional de desktop.

Uma das opções que mais fez falta foi a de “visualização da versão desktop”, para se ter acesso à página completa, como seria exibida em um computador. Assim, o usuário depende da boa vontade dos desenvolvedores de oferecerem em seus sites a opção da visualização tradicional. Em alguns casos, como o da globo.com, há a opção de se acessar a “versão desktop”, mas o usuário precisa apagar os dados do navegador se quiser voltar a visualizar a versão móvel, já que o site não oferece a configuração de volta.

Falta de recursos e opções de configuração do navegador.

Falta de recursos e opções de configuração do navegador.

Por causa dessa surpreendente limitação do aparelho, o que deveria ser a melhor experiência de uso do aparelho, acaba gerando frustração e insatisfação. É como se o sistema operacional, que tem como mote o uso de conteúdo amplamente difundido na Web, precisasse de toda uma adaptação — há algumas, apresentadas na seção Aplicativos — para se ter acesso a elas, gerando uma limitação de ecossistema semelhante a de um novo sistema operacional móvel com recursos específicos de desenvolvimento — sensação experimentada pelo Windows RT.

Monitor de Uso (Tráfego de Dados, Ligações e SMS)

Um recurso interessante do sistema, sobretudo para o mercado ao qual se destina, é o de controle de utilização de serviços de dados e telefonia do aparelho. Por ele, o usuário consegue saber quantas chamadas foram efetuadas, quantas mensagens foram enviadas e quando se consumiu de acesso à Internet, diferenciando o uso por Wi-Fi e pela rede móvel.

Gerenciador de Uso de Dados - Telas de configuração.

Gerenciador de Uso de Dados – Telas de configuração.

Para personalizar e adequar o relatório, o aplicativo oferece configurações para determinar se o plano é pré-pago ou pós-pago, gerenciar o ciclo de consumo (mensal ou semanal) e o dia de início do monitoramento. Para o plano pré-pago há até opção para registrar o saldo e emitir um alerta quando ele estiver baixo. Essas opções são interessantes porque permitem um acompanhamento certo do uso dos serviços de telefonia e podem prevenir problemas e consumo excessivo.

Gerenciador de Uso de Dados - Relatórios.

Gerenciador de Uso de Dados – Relatórios.

Como explicado anteriormente, o aplicativo consegue se integrar à barra de notificações para apresentar um resumo do quanto já foi usado. A integração também serve como um atalho para a própria aplicação.

Agenda de Contatos

O gerenciamento de contatos do aparelho é feito de forma satisfatória. Há opção de filtro por busca e acesso rápido aos nomes pela primeira letra. Pode-se guardar vários números de telefone, endereços de e-mail, endereços, entre outros. É possível associar fotos ou importá-las de outras fontes.

Visualização e gerenciamento de contatos no Firefox OS.

Visualização e gerenciamento de contatos no Firefox OS.

Para facilitar a migração de outros sistemas para o Firefox OS, há opções de sincronismo de contatos. Pode-se usar como fonte o cartão SIM, cartão de memória, Gmail, Outlook e Facebook. A importação dos contatos do Gmail foi feita de forma satisfatória. Se o usuário tiver vários aparelhos e atualizar seus contatos com frequência, será preciso solicitar manualmente o sincronismo dos dados para manter a agenda atualizada.

Calendário

O sistema oferece recursos básicos para o gerenciamento de calendários. As fontes de sincronismo podem ser Google, Yahoo! e outros que utilizem o CalDav. A frequência de sincronismo pode ser ajustada para 15 ou 30 minutos ou ser solicitada manualmente pelo usuário.

Recursos e configurações do Calendário do Firefox OS.

Recursos e configurações do Calendário do Firefox OS.

Há diferentes formas de visualização dos compromissos e opções de lembrete. O que fica confuso é a configuração de tempo para a exibição de lembrete, considerando que os compromissos têm seu próprio tempo ajustado. Um ponto deficiente é a edição de eventos sincronizados. Pelo menos os do Google não puderam ser editados.

E-mail

O aplicativo de e-mail fica como uma opção básica que atende o essencial, mas que pode ser bastante melhorada. É simples e fácil configurar as contas de e-mail, mas a visualização deles não é muito bem trabalhada e integrada aos serviços. Não há agrupamento de e-mails em threads, caixa unificada de mensagens e nem há forma de se baixar os anexos. E-mails escritos em HTML e com incorporação de imagens, contudo, podem ser normalmente vistos e têm opção de não visualização.

Visão geral de leitura e organização de e-mails.

Visão geral de leitura e organização de e-mails.

Apesar da falta de recursos de gerenciamento serem preocupantes, o que é um grande problema para o aplicativo é a falta de integração com o sistema de notificações. Se alguém pretende usar o aparelho para trabalhar e receber informações importantes, poderá demorar demais para responder se não ficar conferindo a chegada de mensagens novas manualmente.

Recursos de configuração e gerenciamento de contas.

Recursos de configuração e gerenciamento de contas.

O sincronismo dos e-mails também mostra suas deficiências. Há apenas as opções para sincronismo automático ou manual. Com a opção de sincronismo automático, o e-mail mostrou que não foi atualizado por 12 horas, o pode indicar um problema com o aplicativo.

Chat e comunicação instantânea

O Fireweb oferece basicamente três formas de chat: SMS, Vivo Chat e mensagens pelo Facebook. Se o usuário quiser outros serviços, como o Hangouts, pode instalar o Loqui Chat. A boa notícia é que está prevista a chegada do WhatsApp para o sistema até o fim do ano.

O uso do chat e das formas de comunicação, no entanto, precisa ser cauteloso. Como o sistema não integra as notificações aos aplicativos, cabe ao usuário olhar de tempos em tempos se alguém enviou ou respondeu alguma mensagem.

Edição e visualização de notas

O aplicativo de notas serve como uma forma de fazer anotações rápidas e objetivas. Não há forma de organização do texto em listas ou formatação de cor e estilo do texto. O máximo que se pode fazer é incorporar uma imagem.

Arquivo para criar e gerenciar anotações.

Arquivo para criar e gerenciar anotações.

Para fazer o gerenciamento das notas, é possível criar blocos agregadores, mudar os critérios de ordenação e fazer pesquisa pelo conteúdo. Por não existir opções de sincronismo, a única forma de enviar as anotações para outros sistemas e dispositivos é o compartilhamento. Para isso, o e-mail é a única opção. Ainda assim, ele não anexa automaticamente a foto já inclusa, é preciso selecioná-la novamente na galeria de fotos.

Edição e visualização de documentos

Uma das características que se associa a smartphones é a capacidade de melhorar a produtividade permitindo visualizar e editar documentos pelo próprio aparelho. Esse quesito, infelizmente, não parece ter sido visado pela Mozilla e pela LG. O aparelho não vem com gerenciador de arquivos e nem com um visualizador ou editor de documentos em formatos populares (txt, odt, pdf, doc, docx, etc.). O mais próximo disponível é o editor de notas.

Leitura de documentos improvisada no browser.

Leitura de documentos improvisada no browser.

No Firefox Markeplace há pelo opções que ajudam a suprir a deficiência. Para visualizar arquivos existentes (sem abri-los) e compartilhá-los, há o Explorer. Para criar e visualizar documentos de texto, há algumas opções, das quais o Firetext – sobre o qual o  Joshua Smith comentou – serve como uma opção interessante para se criar textos com uma formatação mais rica, seja usando código HTML ou em um formato WYSIWYG.

Se a falta do editor/visualizador de documentos já é um problema, a alternativa, que seria a busca por soluções da Web, não se mostra pertinente. A visualização de documentos obtida na Web (pelo navegador do Firefox OS) é bem restrita e limita a capacidade de analisar documentos e de ver seu conteúdo com a formatação original. O Google Drive foi o mais próximo que se conseguiu encontrar para editar os documentos, mas o teclado não chega a ser exibido para que o conteúdo seja alterado. Alternativas como Skydrive, Box.com e Dropbox não conseguiram exibir documentos (exceto por uma planilha no Skydrive).

Loja de aplicativos – Firefox Marketplace

Mozilla Marketplace

Firefox Marketplace

A loja de aplicativos do Firefox é o Firefox Marketplace. O funcionamento é semelhante à Play Store. O usuário tem acesso a uma lista de aplicativos que podem ser vistos de acordo com uma categoria, de uma seção de destaque ou por ser recente. Apps comprados ficam registrados na lista do usuário, porém, curiosamente, não foi possível encontrar aplicativos pagos. Já os aplicativos instalados e usados não chegaram a exibir propaganda ou qualquer pedido de compra.

Apesar de não ter encontrado opções de aplicativos para compra, a Mozilla indicou que o Marketplace terá maior flexibilidade com relação às formas de pagamento. Além do habitual uso de cartão de crédito, será possível usar os créditos de planos pré-pagos ou adicionar o preço à conta aos planos pós-pagos (de acordo com informações fornecidas pela Mozilla ao TechTudo).

Quando há uma versão mais recente de um aplicativo instalado, o sistema informa a atualização e pede autorização do usuário para instalá-la. Algo interessante, é que é possível remover aplicativos que não sejam do sistema, como aqueles colocados por operadoras, sem precisar de permissão especial (como acesso como root). Além disso, pode-se modificar ou remover as permissões de acesso de aplicativos, como a do uso de GPS.

Configurações, categorias e detalhes do Marketplace.

Configurações, categorias e detalhes do Marketplace.

O que há de interessante na loja é a liberdade para instalar aplicativos sem precisar se identificar – no Android, o usuário precisa baixar e instalar o aplicativo diretamente de terceiros se quiser evitar se identificar.  Caso o usuário deseje, é possível se autenticar usando o Persona da Mozilla. Outra característica interessante é a possibilidade de trocar a região cadastrada para um país específico ou para o mundo inteiro, tirando a restrição que existe em outras lojas.

A versão Web do aplicativo também mantém um estilo semelhante à Play Store. É possível se autenticar e listar aplicativos comprados, mas a lista não permite visualizar os apps já instalados no telefone. As opções de instalação e remoção remota também não estão disponíveis.

Aplicativos

O Firefox OS foi criado para tentar tirar proveito da Web, mas, ao mesmo tempo, precisa desenvolver recursos para que ela seja adequada para uso em dispositivos móveis. Mais do que isso, para dispositivos móveis que podem não estar conectados ou não terem uma boa conexão — afinal, está sendo apresentado como “melhor alternativa para smartphones de baixo custo em países em desenvolvimento”. Em meio ao aproveitamento do que a Web já consolidou e do que ainda está em desenvolvimento, os aplicativos precisam de cuidados diferenciados para serem desenvolvidos.

Tipos, níveis de confiabilidade e de integração

De modo geral, o Firefox OS permite que se acesse sites na Web usando o navegador, como qualquer sistema operacional móvel faz atualmente. O SO da Mozilla já mostra um diferencial a partir da possibilidade de se adicionar esse site como um app na tela inicial, como se tivesse sido instalado pelo Marketplace. Feito o primeiro acesso como um app, as funcionalidades oferecidas que foram acessadas ficam disponíveis para uso offline. Ao ser chamado, ele será aberto numa janela independente que mostra opções como “voltar”, “avançar” e “recarregar”.

Para que o aplicativo possa oferecer uma experiência melhor no Firefox OS, o que a Mozilla recomenda é que ele adote o conceito de Open Web App. Com isso, ela quer dizer basicamente que sejam adotados padrões abertos da Web e que seja criado um arquivo do tipo “manifest”. A primeira parte inclui usar os tão falados HTML5, JavaScript e CSS, mas está aberta também a outras possibilidades como JSON, DOM, Indexed Database API, SVG, XML, etc. Fazendo isso, o aplicativo não só se adapta bem aos aparelhos com Firefox OS, mas aos navegadores de uma forma geral — apesar de algumas ainda estarem limitadas a propostas não padronizadas. A segunda parte envolve criar o arquivo manifest que permite ao site ter acesso a mais recursos do aparelho e ser distribuído no Marketplace.

Arquivo Manifest.

Arquivo Manifest.

O manifest é um arquivo de configuração que pode especificar detalhes como o ícone, a orientação da tela, os dados do desenvolvedor, o idioma, entre outros. Talvez umas das mais importantes opções para se especificar sejam as permissões, já que tornam explícitos os recursos que o aplicativo deseja acessar no aparelho do usuário, de modo semelhante ao que o Android mostra ao instalar um app. Se a permissão é especificada, o aplicativo a solicita durante o uso/instalação e o usuário escolhe se a concede ou não. Isso abre a possibilidade a se ter permissões como o uso de GPS, reprodução de mídia e armazenamento interno.

Se o aplicativo for comum ou tiver um manifest, ele pode ser acessado e usado pelo usuário, mas ainda existirão limitações. Por exemplo, ele não terá acesso às páginas do aplicativo que não foram previamente visitadas com conexão ativa, ou seja, será preciso ter acesso à Internet para aproveitar todos os recursos. Além disso, as permissões às quais ele pode ter acesso serão limitadas e não incluem possibilidades como modificar arquivos do aparelho, obter informações de rede ou mesmo simular um teclado virtual em outros aplicativos.

Para oferecer uma experiência ainda melhor ao usuário e ter acesso a mais recursos, é preciso que o desenvolvedor não apenas crie o manifest, mas inclua os arquivos acessados pelo navegador (HTML, JavaScript, CSS, imagens, etc.) em um arquivo zip e o forneça ao Marketplace. Dessa forma, o aplicativo completo (ou ao menos a parte do cliente) pode ser distribuído no Markeplace e posteriormente salvo no telefone, permitindo o uso independente de conexão — o que seria equivalente a um arquivo apk no Android.

Se o aplicativo “empacotado” for submetido ao Marketplace pelo processo regular, ele é classificado como “plain packaged app”. Caso o desenvolvedor resolva colocá-lo sob análise do Marketplace ou de outro responsável por distribuir aplicativos (como a Loja Apps Br da Vivo), o distribuidor tem acesso ao que será executado no telefone dos usuários e pode se certificar de que ele não causará prejuízo. Como resultado, é aumentada a confiança que se tem no aplicativo e ele passa a ter a possibilidade de acesso a mais recursos do telefone, sendo classificado como “privileged app”. Além disso, ele é assinado pelo distribuidor como forma de garantir sua origem e não modificação.

Há, ainda, um terceiro nível de confiança que é o de “certified app”. Esse nível, é usado apenas por fabricantes e operadoras que estão envolvidos e são responsáveis pelo funcionamento do sistema. Ao criar esses aplicativos com alto grau de confiabilidade, eles podem ter acesso aos recursos do sistema sem precisar solicitar a autorização do usuário.

O funcionamento offline e online

Offline vs Online

Offline vs Online

Como explicado na seção anterior, há diferentes tipos de aplicativos que possuem níveis de confiabilidade e de integração com o sistema. Uma das implicações desses níveis é a capacidade de ser executado com ou sem acesso à Internet.

Resumidamente, quando um aplicativo é acessado pelo navegador como uma página Web, ele depende da conexão para ser aberto, como acontece em outros sistemas operacionais. Essa forma de funcionamento é exatamente a mesma nos demais sistemas operacionais (Android, iOS, Windows 8, etc.). Se o aplicativo for adicionado à tela principal, ele precisará ser acessado pelo menos uma vez com conexão, mas a partir daí, o que já foi acessado ficará acessível como se estivesse instalado, mesmo que o aparelho seja reiniciado.

Se o desenvolvedor se preocupar em fornecer uma versão do seu aplicativo em um pacote a ser distribuído em uma loja que segue o modelo do Marketplace, ele passa a ter a possibilidade de funcionar independentemente do aparelho ter ou não conexão — após a instalação com acesso à Internet, claro. De forma análoga ao que acontece nos demais sistemas operacionais, se o aplicativo não é dependente de conexão (como o Twitter ou um jogo estritamente online) ele pode ser aberto no aparelho ainda que este esteja em modo voo. Assim, mesmo tendo apenas aplicativos feitos com HTML5, você pode passar de fase no seu jogo, salvar um contato ou criar uma lista de compras sem se preocupar em perder seus dados porque o aparelho não está com uma conexão boa. Isso é feito, em essência, por mecanismos como Web Storage (ou DOM Storage) e Indexed Database API.

A variedade de aplicativos existentes

Aplicativos no Marketplace.

Aplicativos no Marketplace.

A oferta de aplicativos no Firefox Marketplace ainda é limitada. São 1624 apps, entre redes sociais, utilitários, jogos e outras finalidades. Muitos desses aplicativos são versões móveis de portais e sites, deixando à mostra que serviços já populares em outras plataformas ainda não estão presentes em massa para o Firefox OS.

Para dar uma perspectiva da situação, fiz uma lista dos aplicativos que uso com mais frequência no meu smartphone e verifiquei se era possível usá-lo ou compensar seu uso de alguma forma. Dos quase 100 aplicativos e funções que uso no meu aparelho, os que encontrei no Firefox OS foram:

  • E-mail;

  • Facebook;

  • Twitter;

  • EasyTaxi;

  • Câmera;

  • Calendário;

  • Hangouts;

  • AccuWeather.

Dessa lista, cabe ressaltar que o Google Hangouts está disponível por um aplicativo de terceiros e que é frequentemente interpretado pela Google como uma tentativa de acesso não autorizado à conta. Além disso, E-mail, Facebook e Twitter ainda não emitem notificações pelo sistema operacional, atrapalhando seu uso.

Alguns aplicativos não puderam ser encontrados para o Firefox OS, mas foi possível encontrar uma forma de uso pela versão convencional da Web. A lista contém:

  • Dropbox (sem o upload automático de fotos);

  • Feedly (não adaptado a smartphones);

  • Pocket;

  • Foursquare (sem opção de check-in);

  • Evernote (acesso pela Web e envio de notas por e-mail).

O que faltou e não pôde ser compensado foi:

Como a capacidade de executar e integrar aplicativos é um dos diferenciais de smartphones, o Firefox OS precisa evoluir com relação à disponibilidade e à capacidade de integração ao sistema.

Jogos

O Firefox Marketplace, até a data de publicação deste review, oferece 154 aplicativos na categoria de jogos. Muitos deles são versões simples de jogos populares como xadrez, ligar os pontos e tênis de mesa. Há versões de aplicativos mais populares que estão disponíveis em outras plataformas, como Cut The Rope e Candy Crush (não, não é o original).

Exemplos de jogos disponíveis para o Firefox OS.

Exemplos de jogos disponíveis para o Firefox OS.

Uma das promessas do Firefox é oferecer uma experiência em jogos que seja superior a aparelhos Android low-end, mesmo que o hardware de seu aparelho seja inferior. Para testar essa afirmação, o jogo Cut The Rope foi executado no LG Fireweb e no Sony Live With Walkman, lado a lado.

É possível ver que o Fireweb consegue abrir o jogo e as fases rapidamente,  e não oferece problemas para a execução. Porém, a versão do jogo para Android contém algumas animações e efeitos a mais, como os “confetis” lançados na tela de resultado da fase, além da exibição de propagandas — não que esta seja uma melhoria.

Outro ponto notado é a limitação do jogo em reconhecer mais de um toque. Enquanto no Android é possível cortar até 5 cordas ao mesmo tempo (mas não que eu tenha destreza para isso), no Firefox era preciso fazer um corte por vez. Nesse jogo o problema não foi tão grave, mas a limitação poderá comprometer a experiência de outros jogos. Como explicado no começo do review, o problema ocorre porque os desenvolvedores não aproveitaram o recurso suportado pelo aparelho e pelo Firefox OS.

Mapas e Navegação por GPS

O aplicativo oferecido para se gerenciar mapas é o Here Maps, da Nokia. A escolha parece natural, considerando que é uma opção Web acessível por dispositivos móveis de entrada, alvo do Firefox OS.

Visão geral dos recursos do Here Maps.

Visão geral dos recursos do Here Maps.

O sistema oferece recursos semelhantes ao Google Maps, com opções de visualização de camadas, tráfego, visualização e recomendação de lugares próximos e aumento e diminuição de detalhes. Por padrão, é possível salvar regiões do mapa no próprio aparelho, ajudando a evitar o tráfego de dados.

Visualização de percursos e direção orientada.

Visualização de percursos e direção orientada.

Para a opção de rotas de percursos, o aparelho oferece apenas as instruções de áudio em inglês. Além disso, é possível manter dados compartilhados entre computadores e dispositivos usando a opção de coleções, disponível no Here Maps. Serve como uma forma de planejar visitas em um computador e acessá-las pelo aparelho posteriormente.

Com relação aos sistemas de posicionamento, não há indicativos de que o aparelho possua GLONASS, mas apenas o tradicional GPS. A velocidade e qualidade da recepção fica dentro do esperado de um aparelho low-end: em ambientes externos ou ao se aproximar da janela e esperar alguns segundos, é possível fixar o sinal e conseguir uma boa localização.  Como, por enquanto, não há o recurso de utilização de redes Wi-Fi (como o do Google) para agilizar o processo, a localização não é instantânea com a rede sem fio ligada. Há, porém, o recurso de A-GPS.

Multimídia

O Firefox OS é construído tendo como base recursos abertos da Web e está em fase inicial de desenvolvimento. Tendo essas características e levando em consideração as especificações modestas do Fireweb, há restrições impostas com relação à capacidade de trabalhar com recursos multimídia.

Visualização e edição de imagem

O Firefox OS oferece um aplicativo de galeria semelhante ao de outros sistemas operacionais. É possível visualizar várias miniaturas de imagens ou passar as fotos uma a uma, em tela cheia.

Galeria e visualização de imagens no Firefox OS.

Galeria e visualização de imagens no Firefox OS.

Para cada imagem, é possível realizar as ações de apagar, editar ou compartilhar. O compartilhamento pode ser feito por e-mail, MMS, Bluetooth e Twitter.

Recursos para edição de imagens.

Recursos para edição de imagens.

A edição permite mudar nível de exposição, cortar, adicionar bordas ou escolher entre 5 efeitos diferentes de imagem. Não chega a ser um editor rebuscado, mas os recursos oferecem o básico para se compartilhar conteúdo pela Web com um pouco de tratamento. Os formatos de imagem suportados para visualização são jpg, bmp, png, gif e wbmp.

Reprodução de Áudio

O aplicativo de reprodução de músicas funciona sem mistério. Ao inserir um cartão de memória as músicas são automaticamente reconhecidas e agrupadas. É possível buscar por músicas específicas ou reproduzi-las por artista, álbum ou todas aleatoriamente. Para cada música são exibidas opções de avaliação e repetição, tendo a foto do álbum exibida quando estiver disponível.

Recursos do reprodutor de músicas.

Recursos do reprodutor de músicas.

A qualidade do som não é nada notável. A saída mono atrás do aparelho oferece o básico e o volume, mesmo no máximo, não chega a ser muito alto. Não há opção para fazer equalização dos sons. Os formatos de áudio suportados são: ogg, mpeg, amr, mp3 e m4a.

Reprodução de Vídeo

Pelos reviews feitos no blog, é raro conseguir um aparelho que consiga executar diferentes formatos de vídeo sem auxílio de um reprodutor de vídeo externo. No caso do Fireweb, não é diferente. Dos formatos testados, apenas o 3gp e MP4 codificados com o H.264 puderam ser reproduzidos. Ainda assim, a reprodução do segundo foi instável, já que ora o player conseguia utilizar a tela inteira e ora não.

Reprodutor de vídeo do Firefox OS.

Reprodutor de vídeo do Firefox OS.

De acordo com a LG, os formatos de vídeo suportados são mp4, 3gp, webm e ogv. Os vídeos devem ter resolução abaixo de 800×480 e o áudio não pode ter codec e vídeo licenciados, como MPEG2, AC3 e DTS.

Para piorar a situação do Fireweb, não há reprodutores de terceiros. Com isso, não é possível assistir formatos mais populares de “distribuição” na Web, como rmvb e avi codificado em divx.

Câmera

Aplicativo para câmera

Aplicativo para câmera

A câmera de 5 MP e com LED Flash não impressiona. O disparo é lento e a qualidade das fotografias é razoável. O aparelho consegue obter o foco automaticamente, mas não há opção para tocar na tela e guiar o foco, o que poderia ajudar a obter melhores resultados. Para o usuário, há apenas as opções de escolha do modo do flash (desabilitado, automático ou ativado) e mudança para o modo de gravação de vídeo. Além disso, pelas configurações gerais do aparelho, é possível desabilitar o som de disparo da câmera.

O que pode compensar um pouco a falta de opções da câmera é o aplicativo de edição de imagens, mas, como apresentado, não espere muitos recursos disponíveis. Como de costume, a câmera do Fireweb deve servir mais para registrar momentos improvisados ou para finalidades mais práticas, como copiar documentos ou ler códigos de barras.

Foto com boa iluminação e ambiente aberto.

Foto com boa iluminação e ambiente aberto.

Foto noturna em ambiente aberto.

Foto noturna em ambiente aberto.

Foto em ambiente fechado e com o uso de macro.

Foto em ambiente fechado e com o uso de macro.

Estas e outras fotos, na resolução máxima, estão disponíveis no Flickr. A gravação de vídeos é limitada à resolução VGA. Ao menos é possível usar o flash e conseguir o foco automático durante a utilização, mas não espere uma qualidade excepcional.

A falta da câmera frontal impede que o aparelho possa ser usado no futuro para fazer vídeo chamadas. Essa ausência, porém, é esperada em uma linha de aparelhos de baixo custo.acesse o

Rádio FM

Aplicativo de Rádio FM

Aplicativo de Rádio FM

O LG Fireweb vem com um aplicativo para a reprodução de rádio FM. Seus recursos são espartanos, limitando-se à busca da próxima estação de rádio numa frequência maior ou menor do que a atual.

Não há sincronismo de informações sobre a rádio e opção para memorizar canais mais ouvidos. Como padrão, é preciso que um cabo de áudio esteja ligado ao aparelho, como o de fone de ouvido, para que seja possível sintonizar as estações.

Conectividade

Sendo um aparelho cujo propósito é explorar o potencial da Web, os recursos de conectividade ganham ainda maior importância. Com relação a esse aspecto, o Fireweb se sai bem e consegue oferecer mais do que se viu nas versões iniciais do Android e do iOS.

Redes de Dados Móveis

O Fireweb suporta redes 2G nas frequências  850/900/1800/1900 MHz e 3G 850/2100 MHz.  Com essa configuração, o aparelho não deve oferecer problema para se conectar às redes brasileiras. Outro ponto positivo é o suporte aos protocolos HSUPA e HSDPA, o padrão 3.5G. Considerando que a estabilidade das redes brasileiras não é muito consistente, o fato de o aparelho aceitar o padrão 3.5G parece exceder a expectativa relacionada a uma linha (razoável) baixo custo. Isso é ainda mais interessante considerando que é possível fazer o compartilhamento da conexão usando Wi-Fi e USB, permitindo que o aparelho atue como um modem.

Aparelho Resultados (Testes 1, 2 e 3)
Fireweb 0.45 Mbps / 0.48 Mbps 0.8 Mbps / 0.41 Mbps 0.88 Mbps / 0.27 Mbps
Galaxy S4 (4G Habilitado) – Firefox 1.2 Mbps / 0.68 Mbps 1.28 Mbps / 0.75 Mbps 1.6 Mbps / 0. 47
Galaxy S4 (3.5G Habilitado) – Firefox 0.1 Mbps / 0.9 Mbps 1.28 / 0.97 0.8 Mbps / 0.65 Mbps

Bluetooth

A LG ainda não divulgou informações sobre o aparelho, mas é possível saber que ele suporta  Bluetooth 3 e os perfils HSP (Headset Profile), HFP (Hands Free Profile), OPP (Object Push Profile) e IOPT (Interoperability Profile), graças às informações de certificação. É bom saber que o aparelho já suporta a transferência de arquivos. Essa transferência, no entanto, se limita a fotos e vídeos disponíveis na galeria, já que não há outras formas de acesso a arquivos com opção de compartilhamento.

Wi-Fi

O aparelho suporta as redes Wi-Fi de padrão 802.11 b, g, n e é compatível com a conexão por WPS, cujo propósito é facilitar a conexão com redes seguras. Em termos de protocolo de segurança, os padrões aceitos são WEP, WPA e WPA2. Pelo fato de o padrão 802.1X não ser suportado, não foi possível fazer a conexão pela rede da universidade que possui uma capacidade melhor.

Para testar o uso da rede no aparelho, foi utilizado o http://www.bandwidthplace.com. Foram feitos 3 testes no Fireweb e no Galaxy S4 (usando o CyanogenMod), ambos utilizando o Firefox. Os resultados foram:

Aparelho Resultados
Fireweb 2.08 Mbps/2.42 Mpbs 2 Mbps / 0.1 Mbps 2 Mbps / 2.27 Mbps
Galaxy S4 1.6Mbps / 1.09 Mbps 1.44 Mbps / 3.52 Mbps 1.36 Mbps / 3.65 Mbps

É interessante notar que Fireweb conseguiu atingir uma velocidade de download superior à do Galaxy S4. A velocidade de upload, porém, ficou bem aquém da obtida pelo Galaxy S4.

USB

O aparelho vem com entrada micro USB 2.0. A taxa de transferência é satisfatória e o sistema oferece a opção de compartilhamento da memória interna e de cartão como um pendrive. A opção é interessante porque oferece compatibilidade ampla por parte de computadores, mas deixa a memória compartilhada inacessível ao aparelho enquanto está em uso (motivo pelo qual o Android passou a usar o MTP a partir da versão 3.0).

Segurança e Privacidade

Uma preocupação clara da Mozilla é com aspectos de liberdade e privacidade dos usuários. Um exemplo claro disso está na primeira mensagem estampada no manual do aparelho:

“O Sistema Operacional Firefox OS foi criado para lhe proporcionar mais liberdade com relação à normas e restrições impostas por outros modelos de aparelhos além de oferecer o controle sobre as informações que você armazena e compartilha. Foi desenvolvido pela Mozilla como parte de nossa missão de colocar o poder da Web nas mãos de todos.”

A seguir, detalhamos algumas das formas que a Mozilla está desenvolvendo no Firefox OS para tratar desses aspectos.

Segurança

No que diz respeito a segurança de informações, a Mozilla procura manter os seguintes aspectos:

  • Limitar e reforçar o escopo de recursos que podem ser acessados ou usados por uma aplicação Web (usando, por exemplo, o conceito de Sandbox).

  • Garantir que diferentes camas de segurança são usadas corretamente no sistema operacional.

  • Limitar e conter o impacto de vulnerabilidades causadas por falhas de segurança a partir da camada do Gonk — a que inclui o kernel do linux, bibliotecas de sistema, firmware e drivers do dispositivo.

  • Gerenciar níveis de permissão de acordo com o nível de confiabilidade de cada aplicativo, conforme explicado na seção Aplicativos.

Além dessas políticas gerais, o Firefox OS faz a separação entre “memória de aplicativo” e “memória de mídia” para permitir que os dados dos aplicativos possam ser apenas lidos, sem qualquer modificação. Quando uma atualização é feita, o sistema temporariamente libera a edição do conteúdo.

Apesar da grande preocupação da Mozilla com a segurança, do ponto de vista do usuário ela poderia ser melhorada. Não há opções de criptografia de conteúdo e o bloqueio da tela do aparelho só pode ser feito por um código com 4 dígitos.

Privacidade

Opção "Não me rastreie"

Opção “Não me rastreie”

Com relação à privacidade, o sistema não obriga o usuário a se identificar e inclui o interessante sistema de “Não me rastreie”. Com relação à identificação, logo que se liga o aparelho a primeira vez, não é preciso fazer autenticação em nenhum sistema para ter acesso ao Marketplace ou às ferramentas do aparelho. Se o usuário preferir, pode fazer a autenticação pelo Persona.

O sistema “não me rastreie”, infelizmente, depende também do comprometimento das demais empresas em adotá-lo, mas mostra um potencial interessante frente à comum política de acompanhar os acessos dos usuários em redes sociais, mecanismos de busca e sites de compras. Nas palavras da Mozilla:

“Do Not Track is a step toward putting you in control of the way your information is collected and used online. Do Not Track is a feature in Firefox that allows you to let a website know you would like to opt-out of third-party tracking for purposes including behavioral advertising. It does this by transmitting a Do Not Track HTTP header every time your data is requested from the Web.”

Essa preocupação da Mozilla não é recente e dá para ver que ela continua desenvolvendo recursos com essa finalidade, como o plugin para analisar quais páginas estão te rastreando.

Tweaks, Modding, Desenvolvimento e Atualizações

Por ser um sistema livre, o potencial de modificação, testes e hacking é grande. No entanto, é preciso analisar as opções de personalização de acordo com o usuário final e o fluxo convencional de atualizações por parte da Mozilla, dos fabricantes e da operadora. As próximas seções cobrem esses aspectos.

Aparência

Com relação à aparência, ainda não há muito o que ser personalizado. O usuário pode reorganizar ícones e mudar os itens da bandeja inferior. A apresentação da edição dos ícones lembra bem o modelo adotado pelo iOS e pelo MeeGo.

Formas de personalização e organização dos recursos de interface.

Formas de personalização e organização dos recursos de interface.

Também é possível alterar a imagem de fundo que é exibida nas telas de bloqueio, lista de aplicativos e de busca. Além de ser possível escolher imagens capturadas pela câmera ou salvas no aparelho, já há aplicativo com opções mais diversificadas para se fazer a troca.

Opções para Desenvolvedores

Opções para desenvolvedores.

Opções para desenvolvedores.

Para facilitar o trabalho de desenvolvedores, há um menu relativamente oculto com funções úteis. Pode-se exibir uma grade para definir a localização de elementos de interface, mostrar o framerate de executação dos apps, realçar áreas de “redesenho”, registrar animações lentas, exibir tempo de carga, fazer depuração remota, fornecer saída Wi-Fi para ADB, ativar console e exibir registro de depuração do Gaia.

O acesso ao ADB é o mesmo que o usado no Android, cujo nome é Android Debug Bridge. Esse recurso é interessante porque permite enviar comandos Shell para o aparelho, fazer a instalação e depuração de aplicativos, entre outros recursos. Como não poderia deixar de ser, o  papel dele para se fazer hacking do aparelho é certamente importante.

Ainda sobre hacking, é interessante notar a abertura do Firefox OS a contribuições e modificações. O site da Mozilla oferece informações relevantes para quem quiser testar os sistema e contribuir com correções de bugs e discussões. É possível baixar o código do Firefox OS diretamente da Mozilla ou obter o pacote destinado ao Fireweb pela LG.

Personalização de Operadora e Fabricante

Como grande parte dos sistemas operacionais, o Firefox OS dá a operadoras e fabricantes recursos para que o conteúdo e a interface sejam personalizados — como estratégia para atrair operadoras e fabricantes. A boa notícia é que as personalizações feitas não são intrusivas e nem exageradas. Basicamente há alguns apps específicos instalados e inclusão de uma tela de carregamento que serve como propaganda para a operadora.

BR Apps - Loja de aplicativos da Vivo.

BR Apps – Loja de aplicativos da Vivo.

Os aplicativos específicos instalados pela Vivo foram: VIVO Chat, Site Vivo, loja de apps brasileiros, Serviços e Vivo Meu App. Destes, a BR Apps (loja de aplicativos da Vivo), parece ser o canal da empresa para instalar aplicativos obrigatórios para se obter isenção fiscal, além de poder ser, futuramente, uma forma de se vender opções personalizadas. O interessante é que é possível removê-los sem dificuldade, ao contrário do que se observa em outros sistemas operacionais para dispositivos móveis.

Atualizações do Sistema

Gerenciamento de atualizações.

Gerenciamento de atualizações.

A atualização do sistema é feita por FOTA (Firmware Over The Air), sem complicação. Pode-se configurar o aparelho para verificar atualizações diariamente, semanalmente ou mensalmente. Quando há atualização, o sistema baixa o arquivo e oferece o upgrade, que é feito após reiniciar o aparelho e atualizar dos dados.

Sobre a frequência com que se deve esperar essas atualizações, a Mozilla informou em seu evento no Brasil que serão feitas atualizações a cada 6 semanas, mas que as operadoras podem levar até 6 meses para fazerem a transferência para os usuários. Segundo Mozilla, ela própria pode enviar atualizações de correção de segurança diretamente para o usuário (o que é extremamente importante), mas as atualizações maiores ainda requerem a aprovação de operadoras e fabricantes.

A boa notícia é que até o momento a personalização do sistema não tem sido intrusiva como a dos fabricantes do Android. Com isso, pode-se esperar que o prazo de 6 meses não seja completamente utilizado antes que a atualização esteja disponível.

Telefonia – Ligações, SMS e MMS

Como aparelho para enviar e receber chamadas — às vezes dá para esquecer de mencionar esse ponto — não há do que se queixar. O Firefox OS permite receber e fazer ligações, desligar o microfone, usar o modo viva-voz e usar o teclado numérico para fazer outras interações. Tudo com uma boa facilidade para ouvir e ser ouvido. Ao colocar o telefone perto do ouvido, o sensor de presença nota a situação, fazendo com que o aparelho apague a tela.

Recursos disponíveis durante ligações e para silenciar chamadas.

Recursos disponíveis durante ligações e para silenciar chamadas.

Ainda durante as chamadas, pode-se continuar conversando e voltar para o menu principal e ter a liberdade de usar o aparelho enquanto se conversa. Não há problema em abrir outros aplicativos como o gerenciador de aplicações. É até difícil lembrar, ou acreditar, que esses recursos estão implementados usando HTML. :)

Com relação ao perfil de uso, só há duas opções: modo normal ou silencioso. Para acessar a opção, é preciso pressionar o botão ‘Power’ e escolher a opção ‘Silenciar Chamadas’. O sistema também suporta o envio de mensagens em SMS e MMS.

Bateria e Gerenciamento de Energia

Gerenciamento de Bateria

Gerenciamento de Bateria

Considerando o nicho, a simplicidade de recursos do sistema e as especificações modestas, a capacidade da bateria é suficientemente boa para o aparelho. São 1540 mAh em uma bateria Li-ion. A autonomia é beneficiada pela falta de recursos sincronizados que não demandam tantos acessos e transferências como smartphones com outros sistemas operacionais.

Após ficar ligado por 24 horas, com brilho da tela em 50%, 3G e Wi-Fi habilitados, com o sincronismo de calendário ativo e realizando leituras ocasionais de e-mails e sites, a carga da bateria chegou aos 70%. É preciso lembrar, contudo, que os aplicativos do aparelho, em sua grande maioria, não possuem serviço de sincronismo e não têm processos executando em segundo plano, como ocorre com smartphones com outros sistemas operacionais. O telefone chegou ao segundo dia com 30% da carga, sob mesmo uso, o que foi o bastante para resolver recarregar a bateria para o dia seguinte.

Mesmo que o LG Fireweb não tenha problemas com gastos excessivos de energia, seria interessante ter recursos para análise e controle da autonomia. Quanto a esse aspecto, porém, o sistema não oferece muito. É possível ativar um modo de economia de energia que desativa as conexões e desabilita o GPS. Esse mesmo modo pode ser configurado para ser ativado automaticamente quando o nível de bateria está em 25%, 15% ou 5%. Para o usuário não há nada além disso e da exibição da carga atual da bateria, nem mesmo gráficos mostrando o consumo ao longo do dia — e que seriam úteis para identificar os maiores responsáveis por consumos excessivos que poderiam acontecer.

Preço e Avaliação da Compra

Plano de operadora como recurso para compra.

Plano de operadora como recurso para compra.

O LG Fireweb, mesmo tendo o privilégio da “Lei do Bem”, foi lançado com o preço “cheio” de R$ 449,00. Com a contratação de um plano e fidelização por 1 ano, é possível adquiri-lo por  R$ 309,00 no plano controle ou por R$89,00 no plano pós-pago. Com esses valores, o Fireweb vai de encontro ao objetivo da Mozilla de  atuar no mercado de telefones baratos (feature phones) e não o de smartphones low-end.  Se a proposta era fornecer uma opção às pessoas que queriam comprar seu primeiro smarphone, o Alcatel One Touch Fire faria mais sentido, já que seu preço sem subsídio é de R$ 200,00.  Ainda pior do que isso é o fato de os R$ 449,00 oferecerem uma grande variedade de smartphones já disponíveis e bem preparados.

Atualização [01/11/2013]:  o valor do Fireweb caiu de R$ 449,00 para R$399,00 em seu preço cheio, o que acirra a disputa com smartphones low-end e torna o aparelho mais interessante, ainda relativamente caro.  O Altatel one Touch Fire caiu de R$ 199,00 para R$ 179,00. Sobre a diferença entre o Fireweb e o Touch Fire, vale ler uma segunda opinião deixada nos comentários.

Concorrentes e Alternativas

O primeiro aparelho a ser comentado já não é encontrado para venda, mas é relevante pela semelhança de características e de discurso: o Motorola Go!. O Go! tinha como alvo “promover a transição entre os celulares simples e os smartphones de entrada” e a semelhança entre as propostas não parava por aí. O aparelho tomava para si a classificação de “web phone”, cuja proposta era de colocar recursos mais complexos, como acesso a redes sociais, em uma interface fácil. Mesmo tendo valor de R$ 329,00, o preço era considerado algo para a proposta.

Apesar das semelhanças entre o Moto Go! e (aparelhos com) Firefox OS, a diferença entre ambos é bem grande. Enquanto o primeiro estava mais para um Google Phone, com acesso aos serviços da empresa de Mountain View, e tinha como plataforma de desenvolvimento o Java, o segundo realmente adota a Web como plataforma de desenvolvimento, inclusive em seu caráter aberto —  motivo pelo qual acho que a Mozilla devesse reivindicar o termo “Web Phone”. O problema é que o sistema ainda precisa de melhorias e o público não deve conseguir notar a diferença entre as duas propostas.

No quesito preço, há várias alternativas de peso que conseguem ser mais baratas e oferecer atrativos como o uso de dois SIM card (vulgo chips). O Asha 501 é um bom exemplo. É encontrado por R$ 249,00, tem dois chips, apps populares e um visual interessante, apesar de estar restrito a conexões 2G, ter resolução de tela ainda mais baixa e não possuir GPS.

Dos aparelhos com Android, não faltam alternativas de empresas como Motorola, Sony, Samsung e da própria LG. O LG Optimus L5, com hardware semelhante ao do Fireweb e com Android 4.0, pode ser achado por R$ 339,00. O LG Optimus L3 II com Android 4.1 e especificações mais modestas, também está disponível por R$ 339,00. Da Sony, o Xperia E Dual, com hardware semelhante, Android 4.0 e 2 chips, é vendido por R$424,00. Para tornar a disputa ainda mais acirrada, a versão 4.4 do Android (Kit Kat), promete melhorar o desempenho para aparelhos low-end —  apesar de “low-end“, para o Android, significar ter aparelhos com 512 MB de RAM, que é o dobro do mínimo exigido pelo Firefox OS.

Se o interesse for por adquirir aparelhos com sistemas operacionais livres e de código aberto, a primeira possibilidade é comprar um Android e usar uma versão de AOSP. Além disso, estão por vir alternativas como Tizen, Sailfish e Ubuntu. É preciso ver, no entanto, que cada uma delas, incluindo o AOSP, tem empresas com atitudes e filosofias diferentes que aumentam ou diminuem a aceitação na comunidade de software livre. Além disso, nem todas apresentaram o interesse em trabalhar com smartphones de baixo custo.

Ao considerar alternativas com o Firefox OS, é interessante observar que o LG Fireweb é como um aparelho “topo de linha”, ou melhor, em nível mais alto do que o normal entre os que estão disponíveis para o público geral. Outros lançamentos previstos estão com custos bem mais baixos e especificações ainda mais modestas do que eles, incluindo o dev-phone Keon. O aparelho da LG é o primeiro com o Firefox OS a ter flash e câmera com auto-foco. Nesse sentido, o aparelho parece interessante para entusiastas de software livre e desenvolvedores que querem ter a melhor experiência disponível com o Firefox OS sendo suportado oficialmente. Porém, para desenvolvedores, há ou estão por vir alternativas com especificações melhores, como o Peak e o Peak+.

A Compra

Fora do público de desenvolvedores e entusiastas de software livre, a compra dificilmente será justificada. O aparelho ainda oferece poucos recursos para seu preço e tem competidores mais baratos com um ecossistema mais desenvolvido e populado por apps. Caso o preço diminua consideravelmente, como no caso do One Touch Fire, a compra passa a fazer mais sentido, principalmente como uma opção para se consultar e publicar em redes sociais. Não é por menos que na Venezuela o Firefox OS já responde por 12% das vendas da Telefônica com menos de 3 meses desde o seu lançamento.

Avaliação Geral

Para resumir as impressões mais marcantes deixadas pelo aparelho e seu sistema operacional, destacamos seus pontos mais fortes e fracos.

Pontos fortes

  • Barato quando comprado a partir de um plano pós-pago;

  • Melhor hardware se comparado a outros aparelhos com Firefox OS disponíveis para compra;

  • Sistema aberto, com uma comunidade envolvida e um futuro promissor;

  • Preocupação com liberdade e privacidade do usuário.

Pontos fracos

  • Falta de aplicativos e serviços populares;

  • Navegação na Web é comprometida pela falta de recursos do navegador;

  • Configuração e sincronismo de aplicativos (ainda) não são integrados ao sistema operacional;

  • Não há recursos para visualização e edição de documentos e nem de formatos variados de mídia.

Conclusões

O LG Fireweb é um dos primeiros aparelhos com Firefox OS disponível para o usuário final. Somando o direcionamento para o mercado low-end à etapa inicial de seu desenvolvimento, o sistema possui deficiências graves para quem quer conquistar a fatia de um mercado com grandes competidores atuando no mesmo nicho. A falta de suporte ao gerenciamento de arquivos, leitura de documentos e reprodução de vídeos limita a variedade de usos do aparelho.

Se descartarmos o apelo da abertura do sistema e da preocupação com a privacidade do usuário, o que deveria ser um grande trunfo é a capacidade de aplicar a experiência da Mozilla em navegação na Web. Contudo, a falta de recursos do navegador gera limitações de navegação torna o potencial numa grande fonte de frustração.

Posts Relacionados

Read more from Review
  • Marcio Galli

    Obrigado por ajudar o projeto Mozilla — o projeto precisa de pessoas como você que dedicam um tempo de verdade em ações específicas. Fiz um relatório inicial com todos os *mas* que você colocou, com objetivo de comparar com o que está sendo arrumado e o que pode ser feito.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Marcio,

      Agradeço, mesmo pelo comentário. Sei que tem coisas superficiais ou que talvez não deixem claro o estado ou o potencial do Firefox OS. Se tiver qualquer sugestão de correção ou observação, fique à vontade para comentar.

      • Marcio Galli

        Olá,

        Eu coloquei um digest do seu post no Dev-gaia,

        Que é algo tradicional q pessoal da Mozilla costuma fazer — normalmente a cultura de engineering não é em se defender, em sí em fazer um digest de tudo e cruzar com o que está feito e com o que se tem pra fazer. Pode ser que várias coisas estejam no *roadmap* mas mesmo assim ajuda demais os indicadores. E dá pra notar seus indicadores porque você trabalha um tanto bom com questões de expectativas do mercado — talvez pelo fato de fazer estes reviews sempre e ficar sempre antenado. Obrigado mesmo.

        Segue Ref do thread no Dev-gaia:

        https://groups.google.com/forum/#!topic/mozilla.dev.gaia/KLNa9Jee4Ow

        • http://freebird.blog.br Vegetando

          Só de ter parado para ler o texto completo teria sido ótimo. Ter ainda se dado ao trabalho de retirar as críticas e postá-las para os desenvolvedores, foi demais. Fico contente pelo retorno e pelo cuidado. Obrigado!

  • @b1n0anb

    Parabéns pelo excelente artigo!

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Albino, valeu pelo comentário. :)

  • http://andregarzia.com andregarzia

    Olá,

    Parabéns pelo review de qualidade, é muito bom ler um review mais aprofundado.

    Gostaria de ressaltar alguns detalhes que talvez façam você rever alguns de seus pontos negativos do review.

    - Preço. O telefone por R$450 no preço cheio não está caro. Esse preço tem um motivo de ser. Muita gente compara esse telefone ao da Alcatel mas se esquece que esse telefone possui algumas diferenças que sobem muito o preço dentre elas: tela maior, espaço interno de 4GB (em vez de 160mb), dobro de RAM e camera com flash. Os aparelhos são sim parecidos em termos de usabilidade do dia a dia porém essas diferenças fazem o preço subir muito. Outra questão é a comparação com Androids low-end e mid-range. Esse telefone não é mid-range, é low-end. Existem telefones Android em faixa similar de preço porém com performance inferior no dia a dia. Uma das coisas que ninguém repara é que os telefones Android são produzidos em larga escala com fabricas espalhadas pelo mundo todo inclusive no Brasil. Quando se produz milhões de unidades é fácil descer o preço. O LG Fireweb tem uma produção muito menor, na casa dos milhares e não milhões. Isso torna mais complexa a questão da economia em escala. Isto posto, R$450 ainda é um preço razoável.

    A comparação com o Asha 501 não é muito válida visto que o Asha não tem nem 3G , nem A-GPS e o sistema é uma evolução do S40 de featurephones e não um sistema de smartphones. A única coisa que permite que chamemos o Asha 501 de smartphone é a oferta de apps que é muito bem feita mas se começar a usar vai ver que ele deixa a desejar em relação ao Firefox OS (por mais que ele seja muito bonito).

    Falando de apps. O Firefox OS é uma plataforma nova e os apps ainda estão chegando. O iPhone, o Android e o Windows Phone em seus lançamentos também não tinham tudo. Existem 8 milhões de desenvolvedores web no mundo, isso é mais do que todos os devs de Java, Objective-C e C# somados. O potencial para criação de apps em médio e longo prazo é muito bom.

    Quanto a crítica de utilização do navegador Firefox no Firefox OS, eu não vou dar nenhuma desculpa, vou só explicar o que está acontecendo. O Firefox Browser é feito com o Gecko e o XUL. O Firefox do Firefox OS é feito com HTML5, eles estão recriando o navegador do zero pois o Firefox OS não possui XUL. Por isso você ve tanta diferença entre os navegadores, não da para aproveitar tanta coisa em termos de interface e funcionalidades que não são oferecidas pelo gecko em sí. As funcionalidades vão chegar pouco a pouco. Não foi o caso de simplesmente pegar o Firefox for Android e portar…

    Uma das idéias de não possuir uma central unificada de contas como o Android foi a questão da privacidade, porém isso pode ser revisto dada a resposta das pessoas. Uma coisa interessante é que você tem o controle do que cada aplicação sabe. Falando em configurações e permissões o “App Manager” que está vindo no Firefox para Desktop tem como abrir o about:config do telefone para você mexer.

    Uma questão importante do seu review (que está ótimo) é que você analisou pegando as necessidades de um power user que entende e trabalha com tecnologia. Por exemplo, quantas pessoas que não são de TI tem um cliente de SSH no celular? Faça uma experiência, pegue o Firefox OS e pense do ponto de vista de um novo usuário pegando um smartphone pela primeira vez. Esse smartphone possui uma experiência de primeiro smartphone que é aceitável? Você recomendaria ele para quem nunca teve um smartphone?

    Outra questão interessante não abordada pelo review é a questão das atualizações. Se pegarmos os Android low-end, quantos deles sofrem upgrade para a próxima versão do Android um ou dois anos após a compra? Os mid-range/high-end fazem com um dado atraso mas fazem. Os low-end raramente fazem. Sem contar que é um update por ano e olhe lá. O Firefox OS sofre update a cada seis semanas e as fabricantes/operadoras tem obrigação de fazer update a pelo menos cada seis meses (já é o dobro do que a concorrencia) porém nada impede de fazer com uma frequencia maior. A idéia é fazer um celular que dure que continue recebendo novidades em vez de brincar de de obsolescencia programada como alguns concorrentes.

    Novamente, parabéns pelo review, vou acompanhar o site daqui para frente. Eu so queria fazer os comentários acima para efeito de aprofundarmos a conversa.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Andre,

      Primeiro, agradeço pela resposta detalhada e com pontos que certamente contribuem para post.

      Quando mencionei o valor do aparelho, estava pensando exatamente no que ele oferece hoje e no que um usuário comum poderia aproveitar dele. Por isso, infelizmente, é fácil conseguir um Android low-end (como um LG L5 ou um Sony Xperia E) com preço levemente mais baixo do que o Fireweb e já ter recursos que o Firefox OS ainda não oferece.

      Eu sei que há muito mais do que preço e uso para hoje, mas é difícil justificar a compra de um aparelho para o público geral dizendo que eles têm que ter paciência e acreditar na empresa. A prova de que noto e acredito nessa diferença é que comprei o aparelho mesmo no preço cheio. :) Não fossem os aspectos de falta de notificações, navegação Web e produtividade, eu tentaria ficar exclusivamente com o Fireweb.

      A respeito das atualizações, mencionei no texto o que consegui encontrar sobre elas: “serão feitas atualizações a cada 6 semanas, mas que as
      operadoras podem levar até 6 meses para fazerem a transferência para os usuários”. Como os aparelhos estão chegando agora ao mercado, não dá para traçar um histórico das atualizações e afirmar para os usuários como as empresas se comportarão. Nesse quesito, o Firefox OS acaba sofrendo com a má experiência que outros sistemas (dos quais, o Android é um dos maiores responsáveis) oferecem, já que aconteceram muitas promessas que acabaram sendo atrasadas ou simplesmente não cumpridas, na “cara de dura”.

      Mais uma vez, volto a agradecer pelo comentário. E se tiver qualquer observação ou sugestão de modificação, fique à vontade para dizer. Como ainda estou me inteirando do que o Firefox OS oferece, certamente há muita coisa ser complementada e até corrigida.

      • http://andregarzia.com andregarzia

        Só o fato que se tivessem as notificações já no ar e a navegação web melhorar para você, você consideraria o Fireweb como telefone primario já é uma vitoria! :-)

        • http://freebird.blog.br Vegetando

          O preço já caiu um pouco: R$399,00 (adicionei a informação ao post). Já não é tão fácil encontrar alternativas por esse preço, apesar delas existirem.

          • http://andregarzia.com andregarzia

            quero ver o seu review do Alcatel! :D Alternativa por 179 vai ser tenso.. rsrsrsrs

          • Guest

            Cumprimentos.

            Antes de qualquer coisa, gostaria de parabenizá-los pelo artigo a respeito do aparelho, de longe, o mais completo.
            Entretanto, algumas informações estão nebulosas, levando em consideração que fui à loja, e o vendedor disse o Whatsapp estar disponível. Alguma notícia a respeito ?
            E o Instagram ? mesmo após 17 dias ainda não tem como fazer upload de fotos?
            A memória do aparelho, é de 4 gb. Certo ? Mas quanto está disponível de fato ao usuário ?
            Perdoem-me pelo bombardeamento de perguntas, mas, busco um aparelho que me ofereça recursos básicos de utilização, além de desempenho em redes sociais também básicas, tais como, facebook, instagram, wpp.
            Ante ao exposto, é recomendável a compra do aparelho ?
            De antemão agraço a atenção.

  • Joshua Smith

    Olá

    Há na verdade um editor de documento no mercado que você pode ter perdido [0]. É beta, mas funcional.

    Firetext: https://marketplace.firefox.com/app/firetext

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Joshua,

      Agradeço pela observação, seja para corrigir o texto em si ou pelo fato de agora eu poder aproveitar melhor o aparelho. Vou adicionar essa informação ao post ainda hoje.

      Pelo que vi por cima, o editor é bem organizado e prático, mas por enquanto ele está limitado trabalhar com documentos HTML e de texto puro, não?

      • Joshua Smith

        Ugh, Disqus é quebrado…

        Sim, existem planos para oferecer suporte a mais tipos de documentos no futuro embora (odf, docx, rtf, etc.) O repositório está aqui: https://github.com/Codexa/Firetext

        Uma desvantagem que não tem nada com suporte em Português, mas que está sendo trabalhado.

        Desculpem o meu Português ruim. E que bela revisão a propósito, você realmente fez um monte de trabalho duro para fazer isto :)

        - Josh

        • http://freebird.blog.br Vegetando

          Que bom saber que já está previsto o suporte a outros formatos. Acho isso BEM importante para um smartphone e uso com frequência.

          Com relação à falta de suporte ao Português, não há tanto problema. Se o usuário puder ler seus documentos, lidar com as opções da interface é o de menos. Sem falar que você pode ter ajuda de outras pessoas para traduzir — mas sua escrita já está boa, pelos comentários. :)

  • http://segundaweb.blogspot.com.br/ Vinícius Litvinoff Justus

    Muito bom o review! Parabéns!

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Valeu, Vinícius. :)

  • J. Neto

    Só avisando que, há algum tempo atrás, a Sony disponibilizou a imagem do Firefox OS pro Xperia E[1].

    E parabéns pelo review! Bastante esclarecedor.

    Só mais uma coisa, você pretender analisar o One Touch Fire?

    [1] http://developer.sonymobile.com/2013/02/27/experimental-firefox-os-software-for-xperia-e-available-for-developers-rom/

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Boa observação, J. Neto. Para quem está entre se jogar no Firefox OS ou não, ter uma opção barata e “conversível” é uma boa.

      Provavelmente na semana que vem terei contato com o One Touch Fire. Espero conseguir escrever algo, nem que seja uma comparação mais sucinta entre ele e o Fireweb (já que a versão do sistema é a mesma).

  • Pingback: LG Fireweb - Brasil's first Firefox OS device complete unboxing | Firefox OS Guide

  • Ely Castellano

    Que review completo carinha! =D

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Valeu Ely. :D

  • Marco

    Como instalar o “Instagram ” nele? vi que na tela das imagens ali tem, e eu nao estou conseguindo no meu, e o Whatsapp vai sair mesmo?

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      O Instagram não está disponível como um app que faça upload. Ele permite a visualização de fotos, como acontece na Web.

      Para encontrá-lo, acesse a página de busca inteligente, digite algum artista famoso, como “Bob Marley” e aparecerá um ícone do Instagram. Basta abri-lo, mostrar as opções (na barra inferior) e adicioná-lo à tela inicial para ele estar sempre disponível. Ou acesse http://instagr.am no navegador.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Esqueci de falar do WhatsApp. Não está bem definido. Um membro da equipe do WhatsApp diz que nada está sendo feito. Já a Telefônica, diz que está para sair.

  • phone.rogerio.s.machado

    comprei o meu aparelho influenciado também pelo seu review, porém não encontrei opções citadas nele (ou não procurei direito).

    – não encontrei as opções para desenvolvedor.

    – about:config no firefox nesse navegador nada acontece

    é possível remover a animação da operadora da tela inicial? também não é possível remover o link do google e nem da loja de aplicativo dela dos favoritos do navegador.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Rogério,

      As opções para desenvolvedor estão em:

      – “Configurações”;

      – “Informações” (lá no fim da lista);

      – Botão “Mais Informações”;

      – Botão “Desenvolvedor” (lá no fim da lista);

      Sobre o “about:config”, mencionei esse recurso exatamente como uma crítica. No Firefox do Android e de computadores é possível ter acesso a uma lista de configurações e recursos. Já no Firefox do FirefoxOS, nada acontece. Isso, contudo, deve aparecer conforme a evolução do navegador.

      Sobre a animação da operadora, não fiz ou encontrei algo diretamente relacionado. Acredito que seja possível fazer da mesma forma que seria com o Android (já que o kernel e vários recursos são compartilhados). Então, este guia pode ajudar: http://forum.xda-developers.com/showthread.php?t=2130109

  • Jonatan Azevedo Santos

    pq eu não consigo abrir os jogos com ex: q eu tenho no face no aparelho, ate mesmo tentei mandar por mesangem e ñ consegui abrir

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Não entendi. Você que jogos você quer abrir? Se forem jogos disponíveis na Web, é preciso ver se eles não usam Flash, Java ou algum recurso ainda não compatível com a versão atual do navegador do FirefoxOS.

      O jeito mais prático de se conseguir jogos é acessar o Marketplace e instalar os desejados no aparelho. Dá para ver a lista de jogos em: https://marketplace.firefox.com/category/games

  • Junior Faria

    Cumprimentos.

    Antes de qualquer coisa, gostaria de parabenizá-lo pelo artigo a respeito do aparelho, de longe, o mais completo.
    Entretanto, algumas informações estão nebulosas, levando em consideração que fui à loja, e o vendedor disse o Whatsapp estar disponível. Alguma notícia a respeito ?
    E o Instagram ? mesmo após 17 dias ainda não tem como fazer upload de fotos?
    A memória do aparelho, é de 4 gb. Certo ? Mas quanto está disponível de fato ao usuário ?
    Perdoe-me pelo bombardeamento de perguntas, mas, busco um aparelho que me ofereça recursos básicos de utilização, além de desempenho em redes sociais também básicas, tais como, facebook, instagram e wpp.
    Ante ao exposto, é recomendável a compra do aparelho ?
    De antemão agraço a atenção.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Junior,

      Obrigado pelo comentário e não se preocupe com relação às perguntas. Pode fazê-las à vontade.

      Sobre o WhatsApp, a situação ainda é indefinida. Há três possibilidades:

      – O Wassap [1] que já permite se conectar, mas o funcionamento ainda não é 100%. Quando testei a primeira vez, travava no cadastro. Na última atualização, ele não está abrindo. Mas já tem gente dizendo que consegue receber mensagem, mas não enviar.

      – Loqui [2] disseram que o app irá permitir o funcionamento com WhatsApp, já que ele é um comunicador que usa vários protocolos e se conecta a serviços diferentes (Hangouts, Facebook, Nimbuzz, etc.). Mas ainda não saiu a atualização que de fato permite o uso do WhatsApp.

      - A terceira, ainda mais nebulosa, é a afirmação do presidente da Telefônica de que até o fim do ano o WhatsApp estaria disponível até o fim do ano. Já um desenvolvedor do app desmente a informação [3]

      Sobre as opções extra-oficiais, é provável que elas fiquem numa disputa entre conseguir fazer o serviço funcionar e ter o serviço bloqueado pelo WhatsApp.

      Sobre o Instagram, é possível visualizar conteúdo, mas fazer upload não. Assim como o WhatsApp, se alguma versão extra oficial surgir, é possível que ela seja bloqueada pelos desenvolvedores.

      Sobre a memória, sim, ela é de 4GB. Delas pouco mais de 2GB estão disponíveis para o usuário. Além disso, há a possibilidade de usar um cartão de memória. Nesse caso, apenas os dados, fotos e mídia em geral podem ser salvos. Ainda não há como transferir os apps para o cartão.

      Sobre as redes sociais, dá par usar e acompanhar bem Facebook e Twitter. No Instagram só olhar e comentar. No Foursquare dá para fazer check-in com uma interface bem ruim.

      Testei a versão 1.2 do Firefox OS e já senti muitas melhorias, principalmente com relação à navegação Web. Então, se você se satisfaz com a versão Web de um serviço, o aparelho pode te atender relativamente bem.

      O maior problema, acredito, sejam as fotos e a tela. A câmera não tem lá uma ótima qualidade e a tela tem uma resolução baixa e com ângulo de visão ruim. A do Alcatel One Touch Fire, para mim, ficou muito superior.

      [1] https://marketplace.firefox.com/app/wassap

      [2] https://marketplace.firefox.com/app/loqui

      [3] http://pinguinsmoveis.com/a-balada-do-whatsapp-para-firefox-os/

      • Renato

        eu uso conectaA2 para watsapp e funciona muito bem, so na agenda vc tem que colocar o celular com o ddd da região tipo 06599990000 e funfa que uma blz

  • monica

    Como sair dos aplicativos sem ficar logado?

    • monica

      Aperto a tecla home e fecho o aplicativo…mas continuo logada.O que fazer para sair?

      • http://freebird.blog.br Vegetando

        Monica,

        Se é um app como o Facebook ou o Twitter, você precisa ir na opção que eles dão de deslogar (geralmente com o nome ‘sair’). Se for uma página/app acessado diretamente pelo navegador, você pode ir em ‘Configurações’ e escolher ‘Limpar dados armazenados’.

        Em geral, esses apps não ficarão em segundo plano atualizando, então se for pelo consumo de dados, você não precisa se preocupar em se deslogar. Se for por uma questão de segurança, você pode colocar o código de desbloqueio de tela para evitar que outras pessoas acessem os apps.

  • pitty

    Bom dia, desculpa fazer essa pergunta, mas eu não estou conseguindo colocar musica como toque do telefone..Como faço isso?

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Pitty,

      Desculpe-me pela demora em responder. Infelizmente ainda não tem como colocar música como toque do telefone. :/

  • Ricardo

    Parabéns pelo post, excelente! Não tenho smartphone, simplesmente porque acho um absurdo pagar 1 ou 2k (acho, eu acho, que tem que ser este para rodar bem o kitkat) por um equipamento e ainda pagar caro por um pacote de dados. Me parece que uma dificuldade de popularização será as vendas por pessoas não treinadas. Fui a uma loja e a vendedora me ofereceu um outro aparelho com android – não sei a versão do SO – dizendo que era melhor. Melhor em que sentido? Claramente ela não sabia o que estava dizendo. Uma pena…
    Também não consigo compreeder porque o aparelho nas lojas físicas é mais caro que na loja online. A Vivo deveria igualar os valores, para mais baixo, lógico!

    Direto de um Vostro 1000 rodando Xubuntu.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Ricardo,

      Obrigado pelo comentário e desculpe pela demora para responder. Não sei por qual motivo, mas só hoje vi seu comentário, ao responder outro.

      Infelizmente você tem razão. Muitos vendedores ainda não conhecem bem o Firefox OS, não entendem sua proposta ou seus diferenciais. Então é mais provável que eles tentem vender um aparelho Android mais antigo do que um com o SO da Mozilla.

      Sobre a diferença de preço, acredito que tenha alguma relação com os custos de se distribuir os aparelhos às lojas e à margem de lucro que cada loja deva ter caso o aparelho seja vendido diretamente por ela. É comum ver essa prática em outras lojas.

  • ronald

    tem como instalar o whats app?

  • Pedro

    Que belo review, parabéns. Quero comprar um desses para minha mãe, quando baixar um pouco mais o preço será uma ótima pedida.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Pedro,

      Como disseram logo acima, o preço do Fireweb já caiu um pouco. Agora é possível encontrá-lo por R$299,00 nas lojas físicas e até por R$269,00 na loja online. :)

  • Guest

    Bom dia!
    Comprei um aparelho desse para meu filho, de principio achei bem interessante, nada deixou a desejar do meu L3 android, instalei o conects e esta funcioanndo o whats perfeito, mas o que era a reivindicação do meu filho seria o POU mas não consegui intalar, você tem alguma orientação se um dia vou conseguir?

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Sandra,

      Que bom que ele servindo para seu filho. Por enquanto não consegui encontrar nenhum indício de que ele esteja disponível para o Firefox OS. Também não consegui encontrar nenhum app semelhante, mas é provável que seja possível no futuro.

      Acho que o ideal mesmo seria mostrar interesse para os desenvolvedores, entrando em contato com eles pelo http://pou.me

  • Guest

    Outro detalhe preço R$ 299,00 pós pago na loja da vivo

  • Sandra

    Aliás pré-pago R$ 299,00

  • Sandra

    Gostaria de saber se tem como instalar o POU neste aparelho, quando ao whats pelo Conect ficou otimo, de principio achei o aparelho ótimo.

  • José

    Olá! O Review ficou ótimo, só não encontrei uma informação. Por exemplo, eu só encontrei para vender na VIVO, mas gosto do serviço da Claro e não gostaria de trocar de operadora. Esse celular é desbloqueado? Ou vou precisar desbloquear junto a operadora?

    Obrigado e parabéns pelo trabalho.

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá José,

      Valeu pelo comentário. :)

      Sim, ele é desbloqueado! Você pode usá-lo normalmente com o SIM card de outras operadoras.

  • Jonias Caputo

    oi comprei um firefox os, mas nao consegui colocar o whatsapp, o aparelho nao é compativel?

  • Poliana

    oi parabéns pelo Review ficou ótimo!! só que eu coloquei o código de bloqueio da tela e não estou conseguindo mais desbloquear, só da erro erro erro estou ficando desesperada já sem poder acessar nada!! como faço? tem alguma forma de desbloquear ou só pagando R$ 50,00 a um técnico? obrigada….

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Poliana,

      Você pode apagar todos os dados do aparelho e, com isso, eliminar a tela de bloqueio.

      Para fazer isso, desligue o telefone e aperte, ao mesmo tempo, os botões Power, Diminuir Volume e Home (o que fica abaixo da tela). Fazendo isso, vai aparecer uma mensagem na tela e o aparelho vai ser reiniciado com os dados apagados.

  • Rogério Calsavara

    Parabéns pelo review!! É o melhor review que eu já vi em português, considerando-se todos os sistemas e aparelhos. Review tão bom eu só vi no GSM Arena. Você está realmente de parabéns! Estou querendo comprar um smartphone com Firefox OS e o seu review foi muito útil pra mim. Muito obrigado!!

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Caramba, valeu Rogério. :) Ainda mais pela comparação com o GSM Arena.

      Se tiver alguma sugestão do que incluir, fique à vontade para dizer.

  • Val Manhães

    ola…gostaria de saber como faço para configurar um toque nesse aparelho em mp3? os toques de fabrica não me agradaram….desde já agradeço

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Val,

      Infelizmente ainda não há como fazer personalização dos toques para MP3. Pelo menos não usando recursos da interface padrão.

  • Marcelo Dos Santos Coelho

    Bom dia comprei o aparelho celular Alcatel onetouch Firefox OS e não consigo desabilitar o recebimento de notificações e personalizar o toque, como fazer?
    Obrigado

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Marcelo,

      Sobre o recebimento de notificações, há duas coisas a serem feitas:
      – Silenciar chamadas: segure o botão ‘Power’ e escolha a opção ‘Silenciar chamadas’;
      – Desabilite as conexões para evitar sincronismo: puxe a barra de notificações para baixo e toque nos dois primeiros ícones no canto inferior direito para desabilitar, respectivamente, Wi-Fi e 3G.

      Com esses dois passos, você consegue evitar barulhos de notificações e eventuais sincronismos.

      Para personalizar o toque, vá às ‘Configurações’, escolha o item ‘Som’ e clicar no botão ‘Alterar’ abaixo de ‘Campainha’.

  • Philipe Tessarin

    Alguém saberia me dizer se a capa do lg l5 cabe nele?

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Philipe,

      Sim, a capa do LG L5 cabe nele. A minha fica com umas sobrinhas ao lado, mas não sei se é porque a capa é de silicone e não é rígida ou se é por uma diferença entre os aparelhos. De qualquer forma, uso capa e película do LG L5 no Fireweb e estou satisfeito.

  • Lais

    Olá, eu baixei no meu fireweb o ConnectA2 mas não consigo cadastrar meu número para poder usa-lo, aparece a seguinte mensagem “error no connection status: WRONG ” alguém pode me ajudar? o que estou fazendo de errado?

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Olá Laís, desculpe pela demora.

      Você ainda está com dificuldade para usar o ConnectA2? Como ele passou por algumas atualizações, é possível que o problema tenha sido corrigido. Se não tiver sido, pode perguntar que te ajudo a configurar.

  • deivid AFONSO DA SILVA

    ola queria mudar meu toque do celular colocando a musica que eu quero alguem pode me ajudar ? Obrigado

    • http://freebird.blog.br Vegetando

      Deivid,

      Essa função ainda não é suportada pelo Firefox OS. Eles estão dando prioridade a ela na versão 1.4 do Firefox OS, que já está em desenvolvimento. Dá para ver o andamento dessa função e das demais plajeadas no Roadmap do Firefox OS: https://wiki.mozilla.org/B2G/Roadmap

  • Isabela

    Como encaminhar mensagens nele?

  • Lucas

    Amigo meu nome e Lucas .Tenho um lg fireweb ,gostei muito dele e não tenho que rreclamar dele,mas eu estou com uma duvida. Estou temtamdo abaixar o Candy Crush Saga no lg fireweb e não estou comseguimdo . Existe posibilidades de abaixar o Candy Crush Saga no lg fireweb ?

  • Klaudemir Borges

    olá gostaria de saber como desbloquear o LG fireweb da vivo

  • Rodrigo Dainez

    eu gostaria de saber porque a tela do meu fireweb é toda dividida em pequenos quadradinhos.

  • RICARDO. P. MARIN

    como faço para salvar a agenda de celular firefox os, se meu chip esta cheio, meus contatos excedem o chip(sobra no clr) não tem nada nem um menu com opção exportar para sim ou cartão de memoria, e sim so tem importar.!!!