Skip to content

June 27, 2010 -

Particionamento: Prática

No post Particionamento: Teoria foram abordados os motivos para se realizar o particionamento de dispositivos de armazenamento, critérios a serem aplicados no momento de realizá-lo e os conceitos envolvidos nesse processo. Neste  post será exibida a parte prática do particionamento, exemplificada pelo particionamento de um cartão para uso no N800/N810. O processo é mostrado em detalhes no próprio aparelho, utilizando o GParted. Contudo, são mostradas formas alternativas de se fazer o processo em outros sistemas operacionais, incluindo Windows, Ubuntu e Maemo 5 (no N900).

Particionamento com o GParted

GParted - Software aberto e livre para particionamento (http://gparted.sourceforge.net/)

GParted - Software aberto e livre para particionamento

O GParted é um programa que oferece um conjunto variado de operações para dispositivos de armazenamento. Ele oferece uma interface gráfica que permite visualizar dispostivos e manipular as partições existentes. Um dos recursos interessantes é a possibilidade de mover partições, mantendo os dados (mas sempre há um pouco de risco de perdê-los).

Na realidade, o GParted é uma interface Gnome para a biblioteca libparted (parte do GNU Parted). Há versões do programa para diferentes distribuições GNU/Linux que, apesar de alguma diferenças visuais em tonalidades, ícones e suavidade das janelas, mantêm o mesmo padrão de interface do programa e as mesmas funcionalidades.

Neste post será mostrado o processo de particionamento de um cartão para o Maemo, tendo como base a divisão proposta no post anterior sobre particionamento. A configuração montada foi:

  • 1 Partição com FAT16 ou FAT32: reconhecida pelo sistema como o cartão interno, e que é utilizada como área de armazenamento quando o N800 é ligado ao computador como dispositivo de armazenamento. A utilização de um desses formatos é importante para que a partição seja reconhecida por diversos sistemas operacionais, incluindo GNU/Linux, MacOS e Windows. É comum encontrar partições com tamanhos que variam entre 256MB e 1GB. Esse espaço funciona como uma área de transferência de dados, ou pendrive, utilizado a partir do N800.
  • 1 Partição swap: permite usar o cartão como extensão da memória principal para programas em uso, permitindo que mais aplicativos sejam abertos ainda que a memória RAM seja totalmente usada, mas implicando em uma lentidão maior. Normalmente essa partição é criada com tamanhos entre 128MB e 256MB.
  • 1 Partição ext2 ou ext3: é criada de forma a permitir melhor integração com sistemas operacionais GNU/Linux, tendo características importantes como atribuição de restrições e privilégios de acesso, para atender a requisitos de segurança. Esse tipo de partição normalmente é usado para instalar ou clonar o Maemo ou arquivos e aplicativos sejam passados para ele, mantendo as configurações (de segurança) do sistema.

Na próxima seção será mostrado o processo de particionamento usando uma versão do GParted para o Maemo 4, usado no N800 e no N810. Nas seções seguintes serão vistas formas alternativas de se utilizar o programa no Ubuntu e versões independentes de sistemas operacionais instalados. Para fazer o particionamento nas versões para outros sistemas operacionais podem ser seguidos esses mesmos passos.

Aviso: a exclusão de partições e o processo de formatação apagam os dados contidos no cartão. Antes de fazer alterações na forma de particionamento, salve os dados em outro local, caso queira preservá-los. Tudo o que você fizer é por sua conta e risco.

Maemo (N800 e N810)

No N800 ou N810 é possível instalar o GParted baixando e executando o arquivo gparted-hack.deb. Após a instalação ele estará disponível no menu ‘Extras’ como ‘Partition Editor’. Ao abrir o aplicativo o cartão interno é mostrado, com as partições já existentes.

Visualização de um cartão no GParted usado no Maemo

Visualização de um cartão no GParted usado no Maemo

Se o cartão a ser manipulado for outro, basta acessar o menu principal com

  • ‘GParted’ -> ‘Dispostivos’ -> cartão a ser escolhido.

Se o cartão tiver sido inserido depois ou não for reconhecido, tente a opção ‘Atualizar Dispositivos’ para que o aplicativo o reconheça.

GParted - Seleção de dispositivo para o particionamento.

GParted - Seleção de dispositivo para o particionamento.

GParted - Cartão com as partições excluídas

GParted - Cartão com as partições excluídas

Caso o cartão já tenha alguma partição, o primeiro passo para iniciar a configuração planejada é excluir a partição existente. Selecione o único item que há desenhado e escolha excluir. Após a remoção aparecerá uma área cinza indicando o tamanho do cartão e informando que o espaço não está alocado.

Para criar uma nova partição, clique sobre a área cinza, em seguida clique no botão ‘Novo’ e então preencha os dados equivalentes. Para o exemplo foi utilizado o sistema de arquivos FAT16, em função do uso de 512MB para o tamanho da partição. Para o espaço livre antes e após foram mantidos os atribuídos ou calculados pelo programa.

No N800 não é oferecida uma forma de digitar diretamente o número referente ao tamanho da partição. Para facilitar o processo, basta clicar sobre a barra que representa a partição e redimensioná-la . O ajuste fino do valor pode ser feito com as setas para cima ou para baixo, presentes ao lado do número. Outras opções são o uso de um teclado externo (USB ou Bluetooth) ou do synergy.

GParted - Criação de uma partição FAT 16

GParted - Criação de uma partição FAT 16

A segunda partição será a de swap. Para criá-la é só seguir os passos anteriores, atribuindo como o tamanho 256MB, adotando a partição como primária, seu sistema de arquivos como Linux-swap e mantendo os valores de espaço livre antes e após como os definidos originalmente. Para isso, selecione a área cinza, logo após a opção ‘Nova’ e então insira os dados.

GParted - Criação de uma partição para SWAP

GParted - Criação de uma partição para SWAP

Com o espaço restante do cartão pode ser criada a partição de dados. A partição também é criada como primária e tem como sistema de arquivos o ext2.

GParted - Criação da partição para dados

GParted - Criação da partição para dados

Com todas as configurações feitas, confira os valores e, se tiver certeza, aplique as alterações. É neste momento que as mudanças serão aplicadas e que todos os dados do cartão serão apagados. Para confirmar as alterações acesse no menu

  • ‘Editar’ -> ‘Aplica todas as operações’.
GParted - Opção para aplicar modificações configuradas

GParted - Opção para aplicar modificações configuradas

Manter a partição swap entre a partição usada para ser reconhecida como pendrive (para a troca de dados com vários sistemas) e a de dados é interessante para permitir um ajuste posterior, caso seja necessário. Por exemplo, caso seja necessário ter mais memória virtual, é possível diminuir a partição ‘Transferẽncia’ e aumentar o tamanho da ‘swap’. Se o caso for contrário, a memória virtual não for muito utilizada e existir a demanda maior por espaço de compartilhamento de dados, basta diminuir ou remover a partição swap. A partição de dados pode ser usada da mesma forma com relação a swap, aumentando o diminuindo seu tamanho com modificação da partição que a precede no dispositivo de armazenamento. Nesse caso isso não parece tão útil, já que a área de swap é pequena. Em outras circunstâncias, essa é uma boa dica.

Observação: Arredondar para cilindros ou “round to cylinders” é uma opção que aparece nas janelas de criação e edição de partição. Apesar de o conceito de ‘cilindros’ não ser aplicado a cartões, essa opção deve ser usada com cuidado nos casos de modificação de partições. Se uma partição for redimensionada e a opção de arredondar para cilindros estiver habilitada, é possível que a partição seja movida para ser alocada no limite do cilindro. Além de fazer com que o processo de modificação seja mais lento, já que envolverá a mudança dos dados, é possível que ocorram problemas, como ocorre ao modificar uma partição do Windows Vista.

Sendo mais enfático, a pedido do Panaggio, deve-se evitar mover partições NTFS e outros padrões fechados. Como não se conhece totalmente a especificação destes padrões há um grande risco de o processo apresentar alguma falha.

Ubuntu

O GParted já está disponível na versão Live CD do Ubuntu, que pode ser executada a partir do CD de instalação. Caso o programa não esteja disponível a partir do sistema já instalado, é possível adicioná-lo a partir do terminal executando o comando:

sudo apt-get install gparted

Após a instalação ele pode ser acessado em

  • “Sistema” -> “Administração” -> “Editor de Partições”.

A interface é a idêntica à versão presente no Maemo. Para selecionar um dispositivo, é preciso apenas selecionar seu nome na lista à direita. Se o cartão for acessado a partir de um leitor que é visto pelo sistema como um pendrive, o dispositivo deve ser listado normalmente. No entanto, para conseguir selecionar o cartão a partir do leitor integrado ao notebook, por exemplo, talvez não seja possível apenas atualizar a lista de dispositivos pelo menu. Para conseguir editar o cartão é preciso ir no terminal e digitar:

sudo gparted /dev/mmcblk0

Nesse caso, o primeiro cartão disponível será aberto e selecionado pelo GParted. Para saber qual cartão deve ser chamado, basta executar no terminal:

ls /dev/mmc*

Com isso devem ser exibidos os cartões presentes, como:

/dev/mmcblk0 /dev/mmcblk0p1

A listagem inclui os cartões e suas partições. Cada cartão deve aparecer como mmcblkX, onde X é um número inteiro que começa em 0 e incrementa a cada cartão diferente presente. As partições são mostradas no formato mmcblkXpY, onde X é o cartão e Y é o número que identifica a partição. Tanto o cartão quanto a partição podem ser usados no momento de executar o comando que abre o GParted, mas caso a partição seja escolhida, apenas ela estará disponível para edição.

Ao abrir a partir do comando do terminal, GParted seleciona o cartão definido e mostra suas configurações.

GParted no Ubuntu

GParted no Ubuntu

Como é comum que o Ubuntu monte automaticamente os dispositivos inseridos no computador, é provável que o cartão já esteja montado. Para fazer qualquer alteração, é preciso clicar sobre um dos itens mostrados na lista de partições e solicitar sua desmontagem.

GParted – Alternativas para outros Sistemas Operacionais

Para aqueles que não têm uma distribuição GNU/Linux como o Ubuntu instalada, existem outras formas de se executar o GParted, como pelas opções de Live CD, USB e disquete. O próprio Ubuntu pode ser gravado em um CD e ser executado em um computador sem precisar ser instalado. Isso já garante a opção de usar o GParted para fazer o particionamento de cartões ou de discos.

GParted Live - Sistema Operacional básico

GParted Live - Sistema Operacional básico

Uma opção semelhante, mas ainda mais leve, é o GParted Live. Assim como o Ubuntu, ele pode ser colocado em um CD, pendrive ou cartão para que o usuário dê boot a partir dele. O programa vem em uma imagem própria para gravação em CD, mas pode ser gravado em um pendrive ou cartão SD usando o UNetbootin, disponível para Windows e GNU/Linux. Com isso, uma distribuição GNU/Linux é inicializada e abre automaticamente uma versão do GParted para o gerenciamento de um dispositivo de armazenamento.

O processo de inicialização do GParted Live exige interação com o usuário em 3 momentos. No primeiro solicita a escolha da forma de configuração do teclado. Em seguida, solicita a escolha de um idioma (a opção 01 é para o português do Brasil). Por fim, dá opções para o modo de inicialização, cuja opção padrão deve funcionar bem para a maioria dos computadores e pode ser escolhida pressionando ENTER.

GParted Live - Visualização do cartão pelo particionador

Uma terceira opção é o GParted Live USB, já pronto para ser copiado para um pendrive para abrir o sistema com o GParted. Apesar do processo de configuração do pendrive ser simplificado, há um número maior de perguntas durante a inicialização do sistema, que envolve configuração do vídeo e outras opções. Em comparação com o GParted Live, essa opção inclui mais aplicativos no sistema operacional carregado, incluindo um gerenciador de arquivos e um editor de texto com interface gráfica.

GParted Live USB - Desktop e Particionador

GParted Live USB - Desktop e Particionador

Todas as opções de execução do GParted possuem o mesmo modo de funcionamento apresentado para a versão do Maemo. Para fazer o particionamento ou formatação de um dispositivo de armazenamento, é possível seguir as recomendações feitas na seção do sistema operacional do N800/N810.

Particionadores em outros sistemas operacionais

Em algumas situações é possível evitar o trabalho de utilizar um outro sistema operacional ou  opção Live CD para e realizar alguma operação envolvendo partições no sistema operacional que se tem disponível. Algumas vezes as opções apresentadas pelos sistemas são limitadas, mas podem permitir realizar a ação que se quer no momento.

Gerenciamento de Disco do Windows

O Windows tem seu gerenciador de disco que permite visualizar os dispositivos de armazenamento e as partições criadas. Porém, o programa é limitado aos sistemas de arquivo trabalhados pelo Windows, como FAT16, FAT32 e NTFS.

Particionamento no Windows

Particionamento no Windows

Ao testar a modificação das partições criadas pelo GParted, o Gerenciador de Disco do Windows XP apagou todas as partições do cartão, essencialmente por conter sistemas de arquivos não reconhecidos (como o EXT2). Apesar do número limitado de sistemas de arquivos suportados, o gerenciador é interessante para particionar e formatar discos e cartões de memória que utilizem FAT e NTFS como sistema de arquivos.

Disclaimer: se dependesse do panaggio, isso não estaria aqui :o)

Particionamento no Maemo 5 (N900)

SFDisk no N900

SFDisk no N900

No N900 há pelo menos duas opções disponíveis para se realizar o particionamento. A primeira opção é o sfdisk que oferece recursos para manipular a tabela de partições no GNU/Linux. A interface é apresentada em modo texto e não oferece as operações de uma forma muito intuitiva, o que deve exigir cuidado extra ao realizar o particionamento.

Outra opção disponível para o Maemo 5 é o cfdisk que não chega a ter uma interface tão intuitiva quanto o GParted, mas é mais fácil de se usar do que o sfdisk. Para usá-la no N900 é preciso habilitar o repositório extras-devel e executar no terminal:


root

apt-get install cfdisk

Porém, como alertado no maemo.org, o cfdisk precisa ser usado com cuidado, já que está em uma versão de desenvolvimento e pode apresentar bugs. Neste ponto o sfdisk parece ser a opção mais estável, apesar de menos intuitiva.

Para usar o sfdisk e o cfdisk é preciso abrir o terminal e executar o programa com uma referência ao dispositivo que será particionado, da mesma forma realizada para executar o GParted no Ubuntu . Por exemplo, para executar o cfdisk com o cartão de memória é preciso fazer no terminal:


cfdisk /dev/mmcblk1

Após sua execução é apresentada a tela inicial do particionador, com um menu que apresenta opções navegáveis com os botões do teclado.

CFDisk no N900 (Maemo 5)

CFDisk no N900 (Maemo 5)

Um bom tutorial sobre o cfdisk pode ser encontrado no Guia do Hardware.

Particionamento no Maemo 4

Para quem desejar outras opções para o Maemo 4, além do GParted, existem o Fdisk e o Cfdisk, que trabalham em modo texto. Uma forma de usá-los no Maemo é instalando o console-tools que possui ferramentas úteis para serem usadas no processo de clonagem do sistema operacional para o cartão, além dos próprios particionadores. Alguns exemplos de como utilizá-los podem ser vistos em: fdisk (em inglês) e cfdisk (em português).

Conclusões

Apesar de não estar disponível em sistemas não GNU/Linux, como o Windows, o GParted oferece uma opção completa para o particionamento e formatação de dispositivos de armazenamento. As opções que executam a partir de mídias “bootáveis” oferecem uma boa alternativa para sistemas que não possuem um bom particionador incorporado.

A versão do GParted para o Maemo 4 é tão completa e intuitiva quanto as apresentadas em outros sistemas operacionais, como o Ubuntu. Para quem deseja um outro particionador no N800/N810 há opções como o fdisk e o cfdisk. Este último também está disponível no Maemo 5 e, junto com o sfdisk, permitem particionar meios de armazenamento em massa no N900.

Posts Relacionados