Skip to content

October 13, 2009 -

14

Maemo Summit 2009 – Dia 3

Maemo Summit 2009

Maemo Summit 2009

Terceiro e último dia do Maemo Summit. Segundo dia de evento organizado pela comunidade. Muita coisa rolou, desde repetecos aprofundados dos outros dois dias a apresentação de material novo e surpreendente.

Sala principal do Maemo Summit - garanto que os participantes vão sentir saudade dela (foto de henribergius, compartilhada no flickr pela Creative Commons)

Sala principal do Maemo Summit - garanto que os participantes vão sentir saudade dela (foto de henribergius, compartilhada no flickr pela Creative Commons)

Mas antes de mais nada, um esclarecimento. Se comparado com os outros dois dias, a quantidade de informação produzida colaborativamente foi bem pequena. Mas isso tem uma explicação simples: todo mundo estava cansado. Também pudera! Desde sexta-feira 8 de Outubro, a vida tem sido intensa para toda essa galera.

Por conta disso, o dia começou atrasado para muitos dos participantes do Maemo Summit. Relatos desse tipo não faltaram. Várias pessoas perderam o começo do dia de evento.

As primeiras apresentações e demos do dia foram das grandes aplicações da comunidade. eCoach foi a primeira, mas nada do que foi relatado lá parecia novo. Tracking via GPS, monitoramento de batimentos cardíacos via bluetooth.

Na sequência, foi apresentado o Mauku 2.0, nova versão do cliente twitter mais conhecido do Maemo. Algumas novidades foram apresentadas, como um novo backend que permite adição de novos serviços de microblogging. Já há suporte para Twitter, Jaiku (que eram os já presentes), Qaiku e identi.ca. Mas também vimos alguns relatos de que ainda há o que melhorar, e que o Maemo ainda precisa de e merece um bom cliente Twitter.

O último demo a ser apresentado foi sobre o osm2go, um aplicativo para visualizar e editar conteúdo do OpenStreetMap. OpenStreetMap é a “Wikipédia dos mapas”: qualquer pessoa pode editar e visualizar mapas de lá. O osm2go é um ótimo aplicativo para que qualquer um possa contribuir. Com certeza o melhor aplicativo demonstrado nessa sessão na minha opinião e também na dos presentes. Muita gente elogiou.

Outro demos foram apresentados também, entre eles o liqbase, um “playground gráfico para Maemo” e o OMWeather, widget de clima. Nada de muito relevante foi comentado no twitter, no entanto.

Algumas das estrelas do Fremantle - eCoach, Mauku 2.0 e OMWeather (imagens do Maemo Select)

Algumas das estrelas do Fremantle - eCoach, Mauku 2.0 e OMWeather (imagens do Maemo Select)

Das 15 apresentações da manhã, 4 merecem destaque. Iniciando pela primeira apresentação da sala N900, Maemo Browser for power users. Nessa apresentação foram expostos alguns pontos chave do navegador desenvolvido para o Maemo 5. Para um melhor suporte aos padrões da Web, a engine Gecko, da Mozilla (engine do Firefox), foi a escolhida. Desempenho foi um dos pontos mais martelados no desenvolvimento do navegador, que é bastante rápido. Outro ponto forte, mas esse já não é novidade, é que a navegação sem horizontal scrolling, já que a resolução da tela é 800×480 pixels e o navegador tem suporte a tela cheia, como nos dispositivos antecessores. Além disso, o browser suporta algumas gestures, como zoom “na manivela” (veja vídeo) e outras tantas maravilhas.

Para uma experiência igual a do desktop, uma coisa não poderia faltar: Flash. E para alegria de todos, o suporte a Flash no browser padrão do Maemo 5 é completo! Outra coisa importante para qualquer browser dissidente do Firefox é o suporte a addons, e novamente o navegador corresponde! O suporte a extensões é igual ao suporte no Firefox, mas para usar extensões, elas terão que ser portadas.

Outra apresentação que merece ser comentada pela polêmica gerada foi sobre a nova plataforma de segurança do Maemo: Maemo Platform Security: Principles and Concepts. Foram apresentados diversos mecanismos e técnicas utilizados para proteger a plataforma de software como um todo. Sendo mais específico, as preocupações com segurança são:

  • Proteção a privacidade (Privacy Protection)
  • Controle de acesso (Access Control)
  • Proteção de integridade (Integrity protection)
  • Hardware Enablers (sem bom tradução)
  • Gerenciamento de chaves (Key management)
Slide da plataforma de segurança do Maemo 6 - proteção a privacidade, controle de acesso, proteção de integridade, hardware enablers (nenhuma tradução decente para isso) e gerenciamento de chaves (slides no Slide Share)

Slide da plataforma de segurança do Maemo 6 - proteção a privacidade, controle de acesso, proteção de integridade, hardware enablers (nenhuma tradução decente para isso) e gerenciamento de chaves (slides no Slide Share)

Maemo 6 terá dois modos: aberto (open, modo atual) e fechado (closed). A introdução do modo fechado é necessária ao olhos da Nokia para permitir DRM e outras questões de comercialização. Com esse novo modo, eles ficariam mais a vontade portar N-Gage, Music Store e outros. Para mim e mais algumas pessoas do movimento de software livre, é um furo na liberdade. Mas para outros, pode ser um meio de perder um pouco de liberdade para ganhar em outros aspectos (que eu (in?)felizmente não consigo ver quais :-)). Nos argumentos do Vegetando, “pode ser até um ganho de liberdade, já que você pode escolher entre o fechado e o livre ao invés de ficar preso apenas ao livre”, o que é uma coisa confusa e dúbia. Não pela fala dele, que eu adaptei para transcrever aqui. Mas pela ideia em si. É uma coisa bem complexa e que precisa de mais discussão. (Tem alguma opinião sobre? Comente aí!)

Mais a fundo no novo modelo, algumas coisas serão mais difíceis, e não há quem me convença de que isso não é perda de liberdade. Na nova plataforma de segurança, não será possível reinstalar o SO (reflash) em dispositivos bloqueados. É um ganho para a Nokia, obviamento, porque fará o aparelho ser mais atrativo para as operadoras. Mas os usuários e a comunidade de maneira geral vão perder. E isso já é possível no N900. (#medo).

Além dessas questões de segurança já apresentadas, existem mais alguns problemas relacionados ao modelo de controle de acesso do Unix, no qual o modelo do GNU/Linux foi baseado. No modelo clássico de controle de acesso do Unix, basta especificar controle multiusuário e pronto. Mas para Maemo, vê-se a necessidade de um controle mais fino. Isso pode ser uma coisa muito boa, se bem feita, já que é real a necessidade de um esquema melhor no controle de acesso. Mas se feito sem muito cuidado, pode virar um grande monstro, completamente fora do modo Unix de resolver problemas. A princípio, a proposta e o direcionamento atual do desenvolvimento do controle de acesso parecem bons. Mas aguardemos para ver no que isso vai dar.

Para finalizar o assunto de segurança, foi dito que grande parte do código relacionado a segurança será aberto. Bom porque mais gente poderá ver o código, contribuir, encontrar bugs. Ruim porque não é todo o código, então vamos continuar com pequenas partes amarradas à Nokia ainda.

E uma dúvida associada às licenças foi tirada hoje: Nokia não pretende aderir à GPL3. Ficará com LGPL e GPL2 por questões estratégicas.

Um assunto já muito comentado que foi tema de uma palestra que forneceu informações importantes foi o port do KOffice para Maemo: Mobile Office based on KOffice Open Source Project. Que o Maemo 5 virá com KOffice só para visualização já era conhecido. Mas hoje foram liberados alguns detalhes extras a respeito. Para começar, o visualizar de apresentações, o KPresenter, não faz a exibição dos slides, devido a uma pendência do port. Além disso, finalmente apareceu um vídeo do uso do KOffice no Maemo 5. Várias características do software foram mostradas, com foco no visualizador de documentos e de slides.

A última apresentação a ser comentada foi logo antes do almoço, sobre a integração do Telepathy on Maemo. Foram apresentados os motivos da troca dos aplicativos anteriores pelo Telepathy e também comentadas algumas novas características que o Maemo ganhou com a integração.

A motivação para trocar o IM padrão, os aplicativos de video e audio-chamadas  do Maemo pelo Telepathy foi bastante simples: sair de um modelo monolítico e extremamente inflexível para uma arquitetura extensível, totalmente baseada em plugins. Telepathy faz o que lhe é incumbido fazer muito bem, e assim se tornou uma ótima opção.

Na instalação padrão do Maemo, já temos alguns gerenciadores de conexão instaladas, como Skype e ligações telefônicas. Vários outros estão disponíveis nos repositórios para download, e outros podem ser desenvolvidos/portados facilmente, já que o Telepathy tem um ótimo sistema de plugins.

Alguns desafios enfrentados e que tornam o uso do Telepathy no Maemo ainda melhor. Para atender às necessidades de um usuário do N900, a “agenda” do dispositivos precisa gerenciar contatos de telefonia, IM (em diversas redes) e mais. Além disso, pode-se adicionar/remover contatos em modo offline, e uma sincronização é necessária para não perder nenhuma informação. No Maemo 5, isso tudo já é feito.

Depois das palestras pela manhã, aconteceram diversas palestras relâmpago a tarde. Logo depois, aconteceu o encerramento, que foi regado a emoção e união da comunidade. E assim chegou o fim do Maemo Summit 2009.

Encerramento do Maemo Summit 2009. Com certeza, um momento para praticar o desapego. (foto de henribergius, compartilhada no flickr pela Creative Commons)

Encerramento do Maemo Summit 2009. Com certeza, um momento para praticar o desapego. (foto de henribergius, compartilhada no flickr pela Creative Commons)

E o evento acabou num espírito bem parecido com o do começo.  Muito trabalho da organização, que foi aplaudida com fervor. O objetivo principal de fazer a comunidade interagir foi de longe atingido. O resumo do Maemo Summit foi muito bem feito por Gustavo Barbieri, um dos brasileiros que lá estavam, em um twit (não nessa ordem, adaptei ao meu gosto :-)): ótimas tecnologias, ótimos dispositivos, ótimas pessoas, ótimo evento!

Até o próximo Maemo Summit. Quem sabe no próximo nós realmente não vamos para lá?

Marca deixada num restaurante de Amsterdam por alguns dos participantes ao final do evento. Marca da união dos membros da comunidade e da alta qualidade do evento. (foto de timsamoff, compartilhada pelo twitpic)

Marca deixada num restaurante de Amsterdam por alguns dos participantes ao final do evento. Marca da união dos membros da comunidade e da alta qualidade do evento. (foto de timsamoff, compartilhada pelo twitpic)

http://twitter.com/allaboutmaemo/statuses/4781549771

Posts Relacionados

  • mauromartins

    Rapaz, este é um dos melhores blogs que eu já vi! Vocês dois estão de parabéns!

    Sobre o N900: acredito que o problema da plataforma, é que é voltada para dois tipos de usuário. Os usuários anteriores de tablet, que querem liberdade absoluta, e os usuários de telefone, que irão estranhar bastante o S.O. Não ter um Office para edição de arquivos é um empecilho pra mim (provavelmente terá o Abiword e o Gnumeric, mas o funcionamento do Abiword terá que ser bem melhor que no N800).

    Provavelmente o cliente de twitter funcional será o Gravity: a Nokia procurou a empresa para ela portar ao Maemo. O problema, é que o aplicativo é pago, e provavelmente será portado assim no N900. Aí, só na versão com DRM.

    Enfim, eu pretendo ter um, mas só quando a plataforma estiver madura. O meu E71 vai quebrando um galho enquanto isso.

    Abraço !

  • http://freebirdbr.wordpress.com Vegetando

    Olá Mauro,

    Primeiro tenho que agradecer pela visita e pelo comentário. Isso é muito importante para nós. E se tiver qualquer “canelada”, não deixe de dizer também. :)

    Sobre a edição de documentos Office, também fiquei um pouco decepcionado ao ver que o aplicativo criado seria apenas para visualização. Acho que com o hardware do N900 o Abiword e o Gnumeric devem melhorar (pelo menos com relação ao “peso”). As opções online também devem ser mais confortáveis de se usar. Ainda assim, espero que apareça alguma opção realmente boa e gratuita para ele.

    Aproveitando para explicar o “ter a liberdade de perder a liberdade”, acho que tem coisas que alguns usuários simplesmente não valorizam. Por exemplo, ganhar desconto em um aparelho e ficar preso a uma operadora não é um grande problema para alguém que está satisfeito com o serviço e não pretende mudar. Mas claro que ela pode se arrepender se a qualidade do serviço cair (fato que a irá fazer querer ter a liberdade novamente).

    []‘s

  • Aknaton

    Vocês tão vendo que eu não me engano!
    Sem duvida alguma hoje posso dizer é minha fonte de referência para tecnologia!
    O que eu mais gosto alem das matérias muito bem escritas é o senso de humor!
    É simplesmente fantástico!Vocês dão aula? Se não deviam pensar se ler é ótimo imagina assistir!
    Meus parabéns pelo trabalho de vocês!
    Um abraço!

  • Pingback: (P)Review N900 « Free Bird

  • Andrei

    Pessoal, eu fiquei (e ainda estou) muito eufórico com a chegada do N900,como alguns dizem por aí: o 1º tablet da Nokia q tbm é celular! Mas depois de ler vários reviews (ou previews, sei lá) ainda bate akela dúvida: será q o Maemo é ralmente superior a versão mais atual do Symbian? Se puder, me tirem tbm essas dúvidas: eu percebi q durante o relatório do Maemo Summit 2009, às vezes citavam “Maemo 6″, já é um Maemo superior ao recém lançado Maemo 5??? E afinal d contas, qual é o melhor (pq só posso comprar um, e quero o melhor!) o N900 ou o N97 (N97 normal, não akela miniatura dele, o mini), pq se a dúvida prevalecer, vou acabar fikando com o Sansung Jet, processador melhor junto com uma tela tbm maior (tela esta q só perde pro novo,e recem revelado, LG Chocolate com suas míseras 4 polegadas de tela, mais axo q a configuração deve ser fraquinha!) Valeu pela atenção! e-mail: andrei.dias@hotmail.com

  • Andrei

    Obrigado por responder Vegetando, axo q ficaria com o N900, pelo maior poder (próximo a de um netbook) q ele oferece, mas provavelmente vou esperar eles lançarem o Maemo 6 entaum, como eu li no preview, ele ja virá com suporte a multi-touch, e tbm deve vir resolvendo os problemas criticados no N900. Mas iPhone nem pensar, rsrsrs… pense num celular fresco, ter q usar o iTunes toda vez é ralado (nem gosto d instalar programas d terceiros no pc), se ele viesse com um modo Transferencia de Dados, igual os Nokias, seriam uma mão na roda! Valew

  • Andrei

    Amigos, como o Maemo é software aberto somado a capacidade do N900 e seus sucessores, dá pra pensar em aplicativos bem mais superiores q os disponíveis nos outros smartphones disponíveis por aí né! Será q dá pra fazer com q o N900 receba sinal da TV Digital?

  • panaggio

    Mauro, muito obrigado!

    O Maemo 5 é um ponto de inflexão no Maemo, com certeza. Até o Maemo 4, os dispositivos – e como consequência o SO – eram voltados para geeks e afins. Agora, o aparelho e o SO tem como objetivo absorver mais pessoas, de mais níveis de engajamento “gadgetico”. Eis um desafio que a Nokia e a comunidade estão enfrentando, mas até agora, parece que está tudo muito bem.

    É realmente ruim não ter uma versão de office completa para o mobile computer, mas pensando nos antecessores e em muitos dos smartphone que existem por aí, isso não é muito diferente. Na realidade, existe a possibilidade do KOffice ser completamente portado, porque não? A comunidade deve tentar esse tipo de coisa. Além disso, as opções anteriores (que você citou e outras) devem ser portadas, se já não foram, e devem funcionar bem melhor, por conta do hardware de longe muito melhor.

    Sobre twitter, o Gravity com certeza seria o mais esperado. Mas eu, como entusiasta e evangelizador de software livre, acredito que não seja a melhor opção. Por isso comecei um movimento para implementação de um cliente, do qual o Vegetando também está participando, e muitas outras pessoas já estão se envolvendo de leve. Aguarde por novidades! :-)

    Realmente, para a maior parte das pessoas, eu acho que sua atitude é a mais correta. Esperar a plataforma ficar mais madura é o ideal para a maioria das pessoas. Heavy users de GNU/Linux e afins devem querer o device para ontem (eu incluso :-)), mas caso contrário, minha recomendação é esperar. Pelo menos até a grande atualização de software prometida para o Natal.

    Abraço! E valeu pela força!

  • panaggio

    Por isso mesmo escrevi com essas palavras: “ter a liberdade de perder a liberdade”. Para mim, nada justifica a perda de liberdade, qualquer que seja a vantagem oferecida. Perder a liberdade é um preço muito alto para mim.

    Mas que fique claro: esse sou eu. Tudo isso tem relação exclusivamente comigo. Muita gente pode querer “perder a liberdade”, e aí é só uma diferença de ideologia. Não vou julgar a ideologia de ninguém por isso. Todos somos livres para escolher o que for (parecer?) melhor. :-)

  • panaggio

    Paulo, muito obrigado! Dessa vez fiquei especialmente lisonjeado com seu comentário. Fico muito feliz em saber que ganhamos a confiança de alguém dessa maneira.

    Eu sempre dei aulas, mas em diversos momentos fui obrigado a parar, por um motivo ou outro (esse semestre por exemplo eu não podia dar monitoria porque estourei a cota de monitorias que podia dar no mestrado :-)). Também dou palestras e minicursos, mas não são muita/os. Só tenho uma marcada por enquanto de agora até o fim do ano.

    Muito obrigado mesmo!

  • http://freebirdbr.wordpress.com Vegetando

    Andrei,

    Obrigado pelo comentário.

    O Maemo 6 começou a ser desenvolvido a partir do primeiro dia do primeiro dia do Maemo Summit desse ano. O que foi dito sobre ele ainda é um planejamento para o que irá ser feito (e deve ser apresentado ano que vem). O Maemo 5 é o que virá no N900 e, apesar de já estar em uso, ainda tem algumas imperfeições para serem corrigidas.

    Sobre qual ser melhor: N900 ou N97, a resposta longa pode ser vista nesse post. Essencialmente é preciso ver qual o seu perfil:
    – N900: para geeks, pessoas que têm mais curiosidade de tentar outras possibilidades, que querem mais poder de processamento e experiência mais próxima a de netbook. As possibilidades de usar aplicativo portados de outras distribuições GNU/Linux, jogos com gráficos melhores, acesso a programas livres que realizam as funções esperadas.
    – N97: usuário que quer um celular mais avançado, quer soluções já mais finalizadas para organização pessoal, uso como celular (incluindo MMS), acesso a serviços de música e jogos NGage, navegação um pouco mais restrita, mas também com a possibilidade de usar Opera Mini para navegação rápida e com baixo consumo de dados. Além disso há o potencial do uso da bússola digital para aplicações em realidade aumentada, possibilidade de usar o aparelho com tela inclinada.

    Mas se o N900 ainda precisa de muito acabamento, o N97 também não escapa de críticas com problemas que, teoricamente, são resolvidos com o novo firmware.

    Entre alternativas ao N900 e ao N97, consideraria o Samsung Omnia II, Sony Ericsson Satio, Motorola Droid, HTC Hero e HTC Touch HD2. O Samsung Jet pode ser bem rápido por conta do sistema operacional próprio, só que exatamente essa característica me decepciona. Eu daria preferência a um SO utilizado por vários aparelhos e fabricantes, o que garante comunidades grandes que discutem problemas, desenvolvem aplicativos e criam soluções interessantes.

  • http://freebirdbr.wordpress.com Vegetando

    Andrei,

    Mas acho que a evolução do Maemo será contínua. Isso deve cair no problema de qualquer telefone/equipamento: o que vc compra hoje, por melhor que seja, ficará obsoleto em meses.

    O N810 melhorou em alguns pontos com relação ao N800, mas piorou em outros. Como ter apenas 1 entrada para cartão. Talvez o novo dispositivo que terá o Maemo 6 nem tenha tela capacitiva para se beneficiar do suporte a multitouch. Ou serão vários dispositivos lançados, mas um deles pode não ter exatamente um ponto que vc considera essencial. Enfim, é complicado. :)

    Também não gosto muito de algumas restrições que o IPhone tem. Gosto da atenção que ele tem recebido, que leva a vários produtos serem desenvolvidos para ele. Até os planos especiais de operadoras.

  • panaggio

    Andrei,

    Eu acho que não vou aguentar. Mas se você consegue resistir… boa sorte! :-)

    Mas que uma coisa fique clara: Por mais que se possa instalar o Maemo 6 no N900, é praticamente certo que o N900 não terá suporte à multitouch, por questões de hardware.

    E iPhone eu não vou nem discutir. Também não está na minha lista de favoritos :-)

  • panaggio

    Andrei,

    Realmente, podemos esperar muito das aplicações que surgirão em breve na plataforma Maemo. Mas ainda deve levar um tempo, pois precisa de adoção, mais players importantes para alavancar a plataforma e muita coisa ainda está por vir.

    Para receber sinal de TV digital, o N900 precisa de hardware específico para isso. Para resolver esse problema, eu só vejo duas maneiras: fazendo algum hack de hardware dentro do aparelho (ou com alguma coisa pendurada para fora) ou então usando o USB. Como ainda não se sabe se o USB terá suporte a host, pode ser que essa não seja uma alternativa. Então acho que no N900 vai ser complicado. Acho que andar com coisa pendurada para fora do aparelho não é legal, então não deve rolar. Veja por exemplo essa solução, apresentada no blog do amigo Rodrigo Toledo, para ter TV no N800/N810. É legal, mas não dá para sair de casa com isso :-).

    E software, claro, não seria problema, acredito.

    TV Digital é um problema grande. No mundo todo não há um único padrão, então é difícil desenvolver um aparelho que funcione no mundo todo. E TV Digital para mobile ainda é sonho em muitos lugares. Até aqui no Brasil, não?

    Mais uma vez, obrigado pelos comentários.